Carlos de Oliveira

O Halo e o Espelho Turbado




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Vítor Viçoso

Sinopse:

Neste ensaio analisa-se a génese e o faseamento da obra de Carlos de Oliveira, entre 1942 e 1978, desde a “solidão solidária” ao tema do “homem acossado”, com destaque para a complexa articulação entre a sua obra e o ideário neo-realista (uma escrita de intervenção sociopolítica), a relevância da metáfora especular, a reinvenção/reescrita da paisagem matricial gandaresa, a crítica à condição sociocultural da mulher burguesa, os labirintos do ocaso e a pertinência do conceito do escritor como artesão das palavras e inventor de jogos. ********************************************************* No romance Finisterra – Paisagem e Povoamento, cúpula e síntese da sua anterior obra romanesca e poética, narra-se simultaneamente uma regressão à infância e uma progressão para o fim, relevando-se, nesta intersecção de tempos, um tenso confronto entre as metamorfoses da memória e o seu tendencial apagamento, os sinais e a sua indiferenciação, o real (a paisagem gandaresa e os seus povoadores) e as modalidades da sua representação/ reinvenção estética.

Índice:

Introdução

1. A solidão solidária em Carlos de Oliveira e a poética neo realista: compromissos, tensões e suspeições
1.1. A fase da vocalidade coral épico lírica
1.2. «Sou convosco a treva florescendo»
1.3. O elogio do «estilo» versus a «primazia do conteúdo»: polémicas internas e suspeições
1.4. A crítica à sociedade de consumo e o ecologismo
1.5. A agónica solidão: o tema do “homem acossado” (1950-1974)

2. A juvenília coimbrã e a génese do Neo Realismo
2.1. Dois romances de Fernando Namora e Vergílio Ferreira sobre a juvenil geração coimbrã neo realista
2.2. O compromisso de Carlos de Oliveira com o ideário neo realista: a generosa e fraterna militância cultural e política
2.3. Coimbra nos romances juvenis e na poesia de Carlos de Oliveira: da melancolia elegíaca ao despertar da rebeldia

3. A matricial paisagem povoada: inscrição e reinvenção ficcional
3.1. A Amazónia e a Gândara
3.2. Alcateia: a terra madrasta, os camponeses, os poderosos e os quadrilheiros
3.3. Casa na Duna: fundação, instabilidade, corrosão e declínio
3.4. Pequenos Burgueses: os enredos eróticos e sociopolíticos da burguesia gandaresa e as andanças do manco Raimundo
3.5. Uma Abelha na Chuva: o mel e o fel (o fogo de neve)
3.6. Inovações e reescritas: reinventar se sucessivamente através das palavras que dizem o seu lugar no mundo

4. Do útero indiferente ao erotismo imaginado: as personagens femininas nos romances de Carlos de Oliveira

5. Finisterra – Paisagem e Povoamento: as estratificações da memória, os simulacros e as metamorfoses do real
5.1. Paisagem fundadora e tempos da crepuscularidade
5.2. O povoamento da memória
5.3. As encenações das reproduções da paisagem: fidelidades e infidelidades
5.4. A predestinação, o acaso e os determinismos económico sociais
5.5. O desenho da criança: uma configuração onírica do sacrificial colectivo camponês da Gândara
5.6. A representação do feminino: o fantasma da esterilidade, a mãe, a serva e a prostituta sagrada
5.7. O halo e a indiferenciação
5.8. Alquimia e rituais iniciáticos: as miragens salvíficas da casa
5.9. Os labirintos do ocaso

Bibliografia


* * * * *


O AUTOR

VÍTOR VIÇOSO é professor aposentado da Faculdade de Letras de Lisboa, onde se doutorou em Literatura Portuguesa (1989). Publicou diversos ensaios em revistas e volumes colectivos, com particular incidência em temas e autores do Romantismo, do Decadentismo-Simbolismo e do Neo-Realismo. De destacar o livro A Máscara e o Sonho – Vozes, Imagens e Símbolos na Ficção de Raul Brandão (2021; 2.ª ed. revista e aumentada) e A Narrativa no Movimento Neo-Realista – As vozes Sociais e os Universos da Ficção (2011).

Detalhes:

Ano: 2022
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 164
Formato: 23x16
ISBN: 9789895661589
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
07/06/2022
DÓI-ME TUDO, SENHOR DOUTOR!, da autoria de Jorge Branco
APRESENTAÇÃO: dia 7 de Junho (3.ª feira) às 18h30, na Casa do Alentejo, em Lisboa

01/06/2022
ANGOLA E A INDEPENDÊNCIA, da autoria de António Belo
LANÇAMENTO: 1 de Junho de 2022 (4.ª feira), às 18h00, na Casa do Alentejo, em Lisboa. Apresentação: Comandante Jorge Correia Jesuíno

28/05/2022
MUNDO(S) - LIVRO 18 – Coletânea de Poesia Lusófona, com Coord. Literária de Ângelo Rodrigues
LANÇAMENTO online: 28 (sábado) de maio, pelas 16 horas

26/05/2022
DA GUERRA EM ÁFRICA ÀS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS DE PAZ, da autoria do consócio Luís Loureiro Nunes
LANÇAMENTO: 26 de Maio de 2022 (5.ª feira) 18h30, no Clube Militar Naval, em Lisboa. Apresentação: Doutora Maria Luís Figueiredo

23/05/2022
DO SOLIDARIEDADE AO AFEGANISTÃO, da autoria de Carlos Santos Pereira
LANÇAMENTO: dia 23 de Maio (2.ª feira), às 18h00, no Instituto de Defesa Nacional, em Lisboa. Apresentação: Prof.ª Doutora Isabel Ferreira Nunes; Major-General Carlos Branco André Santos Pereira; Dr.ª Manuela Barreto; Dr. André Santos Pereira

22/05/2022
(A)RISCAR EM PÓVOA E MEADAS… a Cores
LANÇAMENTO: 22 de Maio de 2022 (Domingo) 10h30, no Museu Agrícola de Póvoa e Meadas

21/05/2022
MENTIRAS DE CÃES, da autoria de Roberto Robles
LANÇAMENTO: dia 21 de Maio (sábado) às 16h00, na Sala Leocália Boullosa da Xuventude de Galicia, em Lisboa. Apresentação: Dr.ª Maria Luís Figueiredo

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]