S. Cristóvão

Memórias do Alentejo em Meados do Século XX




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Zulmira Caeiro

Sinopse:

Trata-se, além do mais, da história da vida local, traduzida no esforço dos habitantes de uma pequena aldeia que, à semelhança de tantas outras, ajudou a fazer grande a história de Portugal. Porque em cada momento do todo nacional, o tempo e o espaço apenas ganharam vida pela azáfama diária de homens e mulheres que, em terra firme ou desbravando mares, deram o melhor de si na construção das respectivas vidas e, com elas, escreveram a nossa História. ¶ Não estamos, pois, perante uma peça de literatura erudita, mas o que a autora aqui nos oferece, na simplicidade da sua escrita, são pedaços da vida quotidiana de um passado muito recente, mas que parece já longínquo, tal a velocidade dos progressos civilizacionais. Foi reconhecendo a sua importância que a Academia Portuguesa da História decidiu apoiar esta edição, viabilizando aos actuais leitores e aos vindouros o conhecimento das lides que ajudaram a dignificar os habitantes da aldeia de S. Cristóvão e, com ela, o próprio quotidiano de Portugal. ¶¶ MANUELA MENDONÇA (Presidente da Academia Portuguesa da História) ********************************************************* O tempo passa sem nos apercebermos de que tal está a acontecer e só quando paramos para pensar no que passámos na vida é que nos apercebemos que realmente esta é só uma passagem, que mal damos por isso já tem terminado. Mas nela passa-se muita coisa, pois a todo o momento estamos a viver coisas novas, diferentes, e quase sempre a evoluir, embora na altura não nos pareça, mas é a realidade. ¶ Quando paro um pouco para pensar o que era a vida há cinquenta anos, a partir de quando me lembro do que via e ouvia à minha volta, eu própria me parece mentira como se vivia. No entanto, acredito que foi a partir daí que mais evolução houve no nosso país, diria mesmo, no mundo inteiro, muita coisa se criou e desenvolveu, em todos os campos. Mas nós nem dávamos por isso, era tudo tão lento que não dávamos por as coisas acontecerem, salvo algumas exceções, claro. Até essa altura, não havia desenvolvimento nenhum, na aldeia não tínhamos nada, comparando com o que há hoje, não havia plástico, água canalizada só nas grandes cidades e nem todas, não havia electricidade, os automóveis eram raros. ¶¶ ZULMIRA CAEIRO

Índice:

Nota de Abertura

Prefácio

Dedicatória

Introdução

Anos Cinquenta

Os Montes

As Moradias

A Escola

Brincadeiras de Criança

Higiene e Vestuário

A Saúde

Os Namoros

O António

Um Início de Vida

Os Trabalhos do Campo

Tirar a Cortiça

A Apanha da Azeitona

Os Maiorais de Gado

O Fabrico dos Queijos

A Matança do Porco

Fabrico Artesanal de Pão

As Sementeiras

A Monda

As Ceifas

Searas de Regadio

O 1.º de Maio

“O Descalço”

Os Meios de Transporte

A Rádio e a Televisão

Anos 60

Receitas Alentejanas

Um Pouco de Poesia


* * * * *


AUTORA:

ZULMIRA Antónia Brandôa CAEIRO Salvador nasceu em 12 de novembro de 1945, no monte do Porto da Estaca de Cima, na freguesia de São Cristóvão, concelho de Montemor-o-Novo. Vive na Abrigada, concelho de Alenquer, para onde foi viver com seu marido António Henrique Salvador no ano de 1968, e onde se dedicaram a trabalhar na avicultura. Atualmente está reformada e vive sozinha, devido ao falecimento de seu marido em 22 de março de 2015.

Detalhes:

Ano: 2021
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 192
Formato: 23x16
ISBN: 9789895661138
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]