Teixeira de Pascoaes – Volume II

A «Arte de ser Português» e a Renascença Portuguesa




Recomendar livro a um amigo
Colaboração com a entidade: Câmara Municipal de Amarante, CLEPUL - FLUL

Sinopse:

Encontramos no profícuo ano de 1915 a germinação e estruturação de um manancial de possibilidades literárias, filosóficas e artísticas que serão incrementadas ao longo de todo o século XX. Nesse mesmo ano, é publicada a obra de Teixeira de Pascoaes, intitulada Arte de Ser Português, a par, ainda da publicação da Revista "Orpheu", instauradora da capital e vibrátil instauração do modernismo português, pelas figuras de relevo de Fernando Pessoa, Almada Negreiros e Mário de Sá-Carneiro. É assim que ao celebrar o centenário da publicação da obra supracitada de Pascoaes, se torna imperativo repensar criticamente as controvérsias entre o racionalismo / positivismo, bem como resgatar a forte presença de Teixeira de Pascoaes, junto dos seus pares e cultores. ¶ ¶ ¶ Duas perguntas, de índole distinta, se impõem a Pascoaes: Como pode a Arte de Português ser coetânea da publicação da revista Orpheu? Como pode a Arte de Português acompanhar o inferno a arder que é o pensamento de Pascoaes? A par destas outras interrogações nascem outras, consequentes: Como pode o leitor compreender a feitura desta obra, depois de ler e penetrar a intimidade do seu universo, contendo as mais altas e inquietantes reflexões? Como trabalhar esta obra face às que a antecederam e às que sobreviriam? São estas algumas das inquietações e questões que importam responder e que permeiam a publicação deste segundo volume temático. ¶ ¶ ¶ A Câmara Municipal de Amarante em parceria com o Instituto de Ciências da Cultura Pe. Manuel Antunes, o CLEPUL – Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, a Biblioteca Nacional, apostaram na organização de um evento dedicado a Teixeira de Pascoaes intitulado Triénio Pascoalino 2014 | 2015 | 2017. Tal evento compreende três momentos, consubstanciados em três Congressos Internacionais temáticos. Este primeiro volume torna-se, assim, não apenas o resultado ensaístico desses mesmos anos de encontro académico-científico, mas, sobretudo, a justa e exigida celebração do pensamento de Teixeira de Pascoaes.

Índice:

Prefácio
Annabela Rita, José Eduardo Franco e Sofia A. Carvalho

PARTE I
TRAÇOS DO PENSAMENTO DE TEIXEIRA DE PASCOAES:
DE ARTE DE SER PORTUGUÊS À RENASCENÇA PORTUGUESA
Teixeira de Pascoaes: um pensamento neognóstico?
Paulo Borges

Pascoaes ibérico
António Cândido Franco

O profetismo laico em Teixeira de Pascoaes: a saudade
Miguel Real

Haja Portugal!
Joaquim Domingues

Filosofia criacionista e filosofia messiânico-profética em torno de O Pensamento Criacionista de Leonardo Coimbra e a Arte de Ser Português de Teixeira de Pascoaes
Manuel Cândido Pimentel

“Referimos o nosso escrito principalmente a Pascoaes e Leonardo” – José Marinho e a harmonização das vozes
Jorge Croce Rivera

A visão mistérica da alma pátria portuguesa, no espírito da
Renascença Portuguesa de Teixeira de Pascoaes e Leonardo Coimbra
Samuel Dimas

Arte de Ser Português revisitada
Mário Vítor Bastos

Notas para uma filosofia da história em Teixeira de Pascoaes
João Pedro Cambado

A querela Pascoaes / Sérgio – substância e horizonte
Pedro Martins

O conceito sergiano de “estrangeirados” no contexto da polémica saudosista
Cristiana Lucas Silva


PARTE II
INSTRUIR, EDUCAR E CRIAR

A antropologia de Pascoaes em Arte de Ser Português
In memoriam Jorge Coutinho

Raul Lino, uma arte de ser português
António Braz Teixeira

O conceito de portugalidade em Teixeira de Pascoaes e António Quadros
Artur Anselmo

A Arte de Ser Português: epopeia ou manual pedagógico?
António Manuel de Andrade Moniz

Atavismos árabes em Teixeira de Pascoaes
Fabrizio Boscaglia

Arte de ser Galego: ecos de Teixeira de Pascoaes na poética
de Alfredo Guisado
Fernando de Moraes Gebra

Teixeira de Pascoaes e António Sardinha: dois arquitectos da lusitanidade
José Almeida

O municipalismo entre Teixeira de Pascoaes e o Integralismo Lusitano: mitologias e identidades
Manuel Rezende


PARTE III
ESCULTURAS DA ALMA: POESIA E LITERATURA

Os Poetas Lusíadas: Uma leitura “espiritual” da pátria literária
Mário Garcia

Teixeira de Pascoaes e Bocage
Daniel Pires

Pascoaes e Pessoa, dois cegos homéricos
Mendo Castro Henriques

A literatura como revelação do génio nacional em Teixeira de Pascoaes – intuições e aporias
José Cândido de Oliveira Martins

A reinvenção mítica no Regresso ao Paraíso de Teixeira de Pascoaes
Ana Paula Pinto

A mulher em a Arte de Ser Português de Teixeira de Pascoaes
Fabio Mario Silva

Filhos sem pátria: uma geração à deriva
Tânia Pêgo

Detalhes:

Ano: 2017
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 312
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-644-7
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
14/07/2017
A LÍNGUA PORTUGUESA NO MUNDO LUSÓFONO, organização de Alexandre António da Costa Luís,Carla Sofia Gomes Xavier Luís e Paulo Osório
LANÇAMENTO: Dia 14 de Julho de 2017 (6.ª feira), às 13h00, FNAC do Colombo, Lisboa

07/07/2017
CONCELHO DE TONDELA – HERÁLDICA, HISTÓRIA E PATRIMÓNIO, de Luís Ferros, Manuel Ferros e Rui do Amaral Leitão
LANÇAMENTO: Dia 7 de Julho de 2017 (6.ª feira), às 18h30, no Grémio Literário, em Lisboa. Apresentação: Prof. Doutor António Sousa Lara

23/06/2017
MEMÓRIAS DE UM ASSASSINATO EM MONTEMOR-O-NOVO, da autoria de Carlos André
LANÇAMENTO: Dia 23 de Junho de 2017 (6.ª feira), às 18h00, na União das Juntas de Freguesia, em Montemor-o-Novo

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99