Francisco José Tenreiro

As Múltiplas Faces de um Intelectual




Recomendar livro a um amigo
Organização: Inocência Mata

Sinopse:

Este livro é uma colectânea de ensaios de novas visões sobre a obra (poética e ensaística) de Francisco José Tenreiro e de testemunhos sobre o seu legado (afectivo, sentimental, cívico, científico), por ocasião do seu 90º aniversário (Janeiro de 2011).

Índice:

INTRODUÇÃO
Francisco José Tenreiro (1921-1963):
uma insigne figura da são-tomensidade
Inocência Mata

Coração em África
Paula Tavares

APRESENTAÇÃO: FRANCISCO TENREIRO – O HOMEM E A OBRA
Raquel Soeiro de Brito


I PARTE: TESTEMUNHOS COMO ENSAIOS DE MEMÓRIA

Francisco José Tenreiro
Adriano Moreira

Recordando o Grande Amigo e Colega Francisco Tenreiro…
Ilídio do Amaral

Francisco José Tenreiro, o poeta dos dois destinos
Edmundo Rocha

Francisco José Tenreiro: a angústia de um poeta dividido
Albertino Bragança

O lugar de Francisco José Tenreiro no meu percurso
Lourenço do Rosário

Descobrir Francisco José Tenreiro
Carlos Lopes


II PARTE: FRANCISCO JOSÉ TENREIRO E A MODERNIDADE
SÃO-TOMENSE

São Tomé e Príncipe: a revelação da modernidade
Alfredo Margarido & Isabel Castro Henriques

III PARTE: O CONTEXTO DA OBRA DE FRANCISCO JOSÉ TENREIRO

A Maçonaria em S. Tomé e Príncipe e sua integração
no espaço atlântico. Um esboço
António Faria

Marcelo da Veiga: da mensagem à apostasia
Francisco Costa Alegre

Francisco José Tenreiro: o homem além do poeta
Gerhard Seibert

Amílcar Cabral: um contemporâneo de Francisco José Tenreiro no Portugal dos anos 40 e 50 do século XX
Julião Soares de Sousa

Francisco Vasques Tenreiro no IV Colóquio (1959):
um intelectual afeito a palavras e a campos disciplinares
[+ reprodução de 03 manuscritos]
Maria de Fátima Maia Ribeiro

Francisco José Tenreiro: poeta do neo-realismo negro
Pires Laranjeira


IV PARTE: LIMINARIDADES DO EXÍLIO EM POÉTICAS TENREIRIANAS

Francisco José Tenreiro: a dimensão espácio-temporal
de uma poética negritudinista
John Rex Amuzu Gadzekpo

A incurável “fratura do exílio” e a presença de contraditórios afetos na poética de Francisco José Tenreiro
Cármen Lúcia Tindó Secco

“Coração em África”: poesia e manifestação participante
Maria Nazareth Soares Fonseca

Em busca de um novo humanismo
Laura Cavalcante Padilha

A força reverberatória da poética de Francisco José Tenreiro
Elisalva Madruga Dantas

“Aqui estou agora de Coração em África”: Tenreiro, a metáfora e o trauma
Silvio Renato Jorge

Topografias da memória no percurso poético
de Francisco José Tenreiro
Inara de Oliveira Rodrigues


V PARTE: FRANCISCO JOSÉ TENREIRO E A LITERATURA SÃO-TOMENSE

Dispersões e resistências: a (re)invenção do espaço na literatura são-tomense
Adriana Elisabete Bayer

Francisco José Tenreiro e a fundação do campo literário são-tomense
Francisco Salinas Portugal

Francisco José Tenreiro: entre as liminaridades do exílio
e a identidade insular
Inocência Mata

O Regresso à Ilha em Coração em África: imagens de uma geografia humana e poética
Luciana Éboli

Cartografias do coração: a poética de Francisco José Tenreiro
Robson Dutra


VI PARTE: FRANCISCO JOSÉ TENREIRO: DIÁLOGOS TRANSATLÂNTICOS

A literatura de São Tomé e Príncipe no Brasil:
Francisco José Tenreiro, presente
Amarino Oliveira de Queiroz

Diálogos Transatlânticos: Africanidade, Negritude e construção de identidade
Deolinda M. Adão

Francisco José Tenreiro e Langston Hughes:
Exílios de Coração em África
Manuela Araújo



FRANCISCO JOSÉ TENREIRO:
Natural da ilha de São Tomé, Francisco José Tenreiro (1921-1963) viveu toda a sua vida em Lisboa, a capital do Império, onde estudou e onde conviveu com a intelectualidade portuguesa e africana (estudantes) da Casa dos Estudantes do Império (que Mário Pinto de Andrade designaria como a “Geração de Cabral”) e académicos portugueses, entre os quais Medeiros Gouveia, Mariano Feio, Adriano Moreira e Orlando Ribeiro, seu mestre, que o influenciaria grandemente na sua decisão de se formar em Geografia (embora tenha começado por se formar em Administração Ultramarin). A sua obra ensaística, assim como a obra poética, revela um profundo conhecimento, ainda que (apenas) intelectual, sobre a condição do homem negro no mundo, a condição do africano e a condição colonial, Autor de dezenas de artigos e ensaios científicos (geografia, sociologia, antropologia, história, crítica literária), A Ilha de S. Tomé (Estudo Geográfico) continua a ser uma obra incontornável do seu percurso académico e sobre a história e a formação de São Tomé e Príncipe. Poeta e contista literário, é autor de dois livros de poesia: Ilha de Nome Santo (1942) e Coração em África (1967, edição póstuma).

Detalhes:

Ano: 2010
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 400
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-060-5
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
24/09/2017
O SISTEMA DE INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, da autoria de Susana Rodrigues
LANÇAMENTO: Dia 24 de Setembro de 2017 (domingo), às 19h00, na Festa do Livro do Palácio de Belém, em Lisboa

23/09/2017
A MINHA VIDA DAVA UM ROMANCE, de José Salgueiro
LANÇAMENTO: dia 23 de setembro (sáb.), às 16H00, na Biblioteca Municipal de Montemor-o-Novo

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99