Memórias Históricas

Infância em Vendas Novas, Guerra Civil de Espanha e Campo de Concentração Nazi




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Leonel da Cunha

Sinopse:

Entrada no Inferno – Chegámos à entrada do Campo. Na nossa frente estava um portão com dois batentes e uma torre de cada lado. Encimando o portão havia uma legenda, feita de grandes e grossas letras de ferro, que avisava: ARBEIT MACHT FREI (o trabalho liberta). Entre as duas torres uma passarela onde, à noite, colocavam uma metralhadora. De cada lado das torres, muros com mais ou menos três metros de altura. E, em baixo, arames farpados que eram eletrificados logo que os prisioneiros regressavam do trabalho. Nos muros havia, aqui e ali, argolas às quais os SS amarravam os prisioneiros pelos punhos sempre que os queriam punir. ********************************************************** Leonel da Cunha tem, através da sua escrita elaborada e distinta, prestado um excelente contributo às disciplinas da História, da Sociologia e da Antropologia, mas, especialmente, às gentes de Vendas Novas para que melhor conheçam o presente à luz do seu passado recente. ¶ No livro que agora se publica, o Autor, descrevendo os seus tempos de meninice e de estudante, traça um quadro de vivências que abarca a sociedade do seu tempo, dos anos 40 e 50 do século passado, as suas amizades e os seus amores precoces, mas, também, o ambiente fechado em que viviam os diversos extratos sociais e as dificuldades de grande parte da população na luta pelo pão diário. É também o tempo da Guerra Civil de Espanha e da II Guerra Mundial e, neste capítulo, Leonel da Cunha traz-nos testemunhos inéditos que podem surpreender os leitores menos conhecedores destas temáticas. [FERNANDO MÃO DE FERRO, Editor]

Índice:

Esclarecimento prévio

Caro Leitor

Prólogo

I Parte – Em busca de um tempo perdido
1 – Revivendo um passado sempre presente.
2 – Recordando a mãe e seus ensinamentos
3 – Os velórios
4 – A caridade
5 – O Peneirol e outros mendigos ocasionais
6 – A cura milagrosa de um menino mimado e achacadiço
7 – Uma explicação que se impõe
8 – O ciclone de 1941
9 – O misterioso desaparecimento do Peneirol
10 – Os enjeitados da vida, passando pelo comportamento dos terratenentes do Alentejo
11 – As características do concelho de Vendas Novas e das cercanias da antiga vila
12 – O orgulho paternal mais aquilo que o narrador decidiu acrescentar
13 – O curso da vida e as inevitáveis adaptações
14 – O despertar da libido e os desvarios da adolescência
15 – O panorama social português durante o período da II Guerra
16 – As incertezas de um jovem enquanto aguarda por uma decisão
17 – O início de uma longa jornada
18 – Acontecimento anunciado
19 – Refugiando-se no passado
20 – O regresso às aulas e uma conquista falhada
21 – Desvenda-se o mistério
22 – Os longes da memória

II Parte
1 – Vivendo o presente em Lisboa
2 – Nota prévia
3 – Um tal belga que, afinal, era espanhol
4 – A fauna do Paredão
5 – A consolidação de uma amizade
6 – Diário de um prisioneiro de guerra

III Parte – O testemunho por escrito
1 – Os preparativos
2 – Nota Prévia
3 – Ingresso na Legião Estrangeira
4 – A fuga e a prisão
5 – Passagem pelo Purgatório
6 – A caminho do Inferno
7 – Entrada no Inferno
8 – A libertação

Epílogo

Bibliografia


* * * * *


O AUTOR:

LEONEL DA CUNHA – Nasci em Lisboa no dia 17 de Novembro de 1935 na maternidade Alfredo da Costa. Contudo passei dois terços da minha vida em Vendas Novas. Aqui estudei até ao 5.° ano no Colégio desta localidade e completei o 7.º ano em Évora. Nesse mesmo ano concorri aos ctt tendo sido aprovado.
O meu primeiro trabalho no Correio foi em Câmara de Lobos, e depois no Funchal, onde estive cerca de um ano.
Regressado ao continente fui colocado na estação de Lavre, onde estive 7 anos. Depois fui transferido para Vendas Novas onde desempenhei as funções de chefe de estação durante outros 7 anos. Seguidamente trabalhei para a Direcção Geral do Correio na área da distribuição domiciliária e durante este período fiz estágios (de Organização e Métodos) em França e na Suíça.
Fui coordenador da implantação do Código Postal a nível nacional e dei formação na área da distribuição domiciliária aos palop.
Reconhecido como especialista em organização nesta área, fui convidado pelo pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) a fim de organizar a distribuição domiciliária nas cidades da Praia e do Mindelo.
Uma vez na reforma dediquei-me a escrever artigos para o jornal a Gazeta de Vendas Novas durante cerca de 12 anos.
Em 2016 publiquei Vendas Novas das Passagens e dos Passantes – Cenas de uma Vila Tranquila e em 2017 Caderno de Capa Preta – Memórias de um Viver já vivido.

Detalhes:

Ano: 2023
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 274
Formato: 23x16
ISBN: 9789895662623
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
01/03/2024
MEMÓRIAS DE UM COMBATENTE, ANTES E DEPOIS DO 25 DE ABRIL DE 1974, da autoria de João Pedro Quintela Leitão
LANÇAMENTO: 1 de Março de 2024 (6.ª feira) 17h00, no Caslisboa, em Lisboa. Apresentação: Dr. Bruno Miguel Galeano Quintela Leitão e Dr. Pedro Eugénio Galeano Quintela

28/02/2024
OS JUDEUS MARROQUINOS DE CABO VERDE – SÉCULO XIX (2.ª ed.), com coordenação e organização de Carol Castiel
APRESENTAÇÃO: dia 28 de fevereiro de 2024 (4.ª feira), às 18h30, na Associação Caboverdeana, em Lisboa

24/02/2024
O ÚLTIMO MESTRE TEMPLÁRIO PORTUGUÊS – D. Vasco Fernandes, primeiro comendador de Montalvão, da autoria de Luís Gonçalves Correia
APRESENTAÇÃO em colaboração com CASA DO ALENTEJO: dia 24 de Fevereiro (sábado), às 16h00

23/02/2024
Arte, Religião e Imagens em Évora no tempo do Arcebispo D. Teodósio de Bragança, 1578-1601, da autoria de Vitor Serrão
APRESENTAÇÃO: dia 23 de fevereiro de 2024 (6.ª feira), às 18h00, Galeria de Exposições da Casa de Burgos, em Évora. Apresentação: Pedro Flor (Universidade Aberta)

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 “Chamadas para a rede fixa nacional (PT), de acordo com o tarifário do utilizador” ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]