A guerra na fronteira mirandesa durante a Época Moderna

da Guerra da Aclamação à Guerra Fantástica




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

Com uma escrita cuidada, mas de fácil leitura, suportada por excelentes imagens e mapas, o livro transporta-nos do território para os sistemas defensivos da fronteira mirandesa, para depois tratar esses mesmos espaços no âmbito da Guerra da Aclamação (1640-1668), da Guerra da Sucessão de Espanha (1701-1714) e da Guerra dos Sete Anos (1756-1763). Na prática, o livro aborda a evolução militar da denominada fronteira mirandesa, ao longo dos séculos XVII e XVIII, nomeadamente através da análise das características e efeitos militares das três guerras referidas, no espaço em causa, constatando que a fronteira mirandesa «desempenhou um papel cada vez mais importante, participando na concretização de objetivos relevantes, ao longo do período cronológico abordado». ¶¶ [JOÃO VIEIRA BORGES, Major-General, Presidente da CPHM] ********************************************************* O espaço em estudo é o planalto mirandês, região de fronteira que apresenta características geográficas próprias. Pertencente ao distrito de Bragança, o denominado “planalto mirandês” engloba os concelhos de Mogadouro, Vimioso, Miranda do Douro e parte do de Bragança, situado entre o rio Sabor e o rio Douro. ¶ (...) Nas povoações em estudo, destaca-se Miranda do Douro, que, pela sua situação geográfica, sempre foi considerada uma das “portas” de entrada em Portugal, de onde partia a antiga via medieval para Bragança. ¶ É um facto que a região de Trás-os-Montes, em geral, não ocupa mais do que algumas linhas, na maior parte das sínteses sobre História de Portugal. (...) Assim, o presente trabalho pretende construir uma imagem mais completa da História Militar desta região, colocando-a no contexto dos conflitos bélicos em que Portugal se empenhou, nos séculos XVII e XVIII, e que ofereceram às estruturas defensivas da raia um papel e um protagonismo que explicam claramente a sua evolução e, em parte, o seu declínio.

Índice:

Nota Prévia

Introdução

Lista de abreviaturas e siglas

Capítulo 1 – O Território
1.1. As definições de “fronteira”
1.2. A construção da “fronteira mirandesa”

Capítulo 2 – Os sistemas defensivos da fronteira mirandesa
2.1. As linhas de defesa da fronteira mirandesa
2.2. As fortificações da fronteira mirandesa
2.2.1. O castelo de Algoso
2.2.2. As estruturas defensivas de Miranda do Douro
2.2.3. O castelo de Mogadouro
2.2.4. O castelo de Outeiro de Miranda
2.2.5. O castelo de Penas Roias
2.2.6. O castelo de Vimioso
2.3. Estruturas complementares de vigia

Capítulo 3 – Guerra da Aclamação (1641-1668)
3.1. A reorganização da administração militar
3.2. Formas de financiamento da guerra
3.3. As dificuldades no sustento das tropas
3.4. As diferentes fases da guerra
3.4.1. Primeira fase (1641-1658)
3.4.2. Segunda fase (1659-1662)
3.4.3. Terceira fase (1662-1668)

Capítulo 4 – Guerra de Sucessão de Espanha (1701-1714)
4.1. Uma paz provisória (1668-1701)
4.2. A diplomacia portuguesa: entre França e Inglaterra
4.3. Formas de financiamento da guerra
4.4. A primeira fase da guerra (1704-1709)
4.5. O papel militar da região de Zamora
4.6. A ocupação do território mirandês pelos borbónicos (1710-11)
4.7. A resposta portuguesa: a invasão da raia zamorana (1710-11)
4.8. Represálias borbónicas contra Carbajales e Vimioso (1711)
4.9. A ocupação da província de Zamora (1711-15)
4.10. As consequências dos acordos de paz (1713-15)
4.11. A reorganização da administração e dos efetivos militares

Capítulo 5 – Guerra dos Sete Anos (1756-1763)
5.1. A reação portuguesa ao Pacto de Família
5.2. Formas de financiamento da guerra
5.3. As medidas de defesa anglo-portuguesas
5.4. Os planos de invasão franco-espanhóis
5.5. A invasão espanhola a partir da fronteira mirandesa (maio-junho, 1762)
5.6. A ocupação espanhola do território transmontano
5.7. A “defesa em profundidade” anglo-portuguesa
5.8. A retirada espanhola da região transmontana (junho-julho, 1762)

Conclusão

Anexos
Anexo 1 – Mapas
Anexo 2 – Plantas e desenhos
Anexo 3 – Quadros
Anexo 4 – Documentos

Fontes
Fontes cartográficas
Cartas Antigas
Real Academia de la Historia (Biblioteca Digital – «bibliotecadigital.rah.es»)
Fontes impressas
Fontes manuscritas

Bibliografia


* * * * *


AUTOR:

JORGE PEREIRA ARAÚJO nasceu no Porto, em 1972. É Professor de Quadro de Escola do Ensino Básico e Secundário. É pós-graduado em Museologia, mestre em História Medieval e doutor em História, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto. É autor de vários artigos publicados em revistas e livros da especialidade nas áreas de História Militar, História Económica, História Local e Património.

Detalhes:

Ano: 2022
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 400
Formato: 24x17
ISBN: 9789895661886
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
19/01/2023
Nos 100 anos de EUGÉNIO DE ANDRADE
Três OBRAS sobre O POETA, nascido no Fundão em 19 de janeiro de 1923 e que nos deixou em 13 de junho de 2005 "O Marulhar de Versos Antigos – A Intertextualidade em Eugénio de Andrade", da autoria de João de Mancelos "Uma Canção no Vento – A Poesia de Eugénio de Andrade", da autoria de João de Mancelos "Noite e Dia da Mesma Luz – Aspectos da poesia de Eugénio de Andrade", da autoria de Federico Bertolazzi

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]