«Fin qui ho parlato…»

A condição profissional dos músicos na Lisboa oitocentista e outros ensaios




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Francesco Esposito

Sinopse:

O presente volume reúne um conjunto de textos da autoria do musicólogo Francesco Esposito (1964-2020), seleccionados e organizados por um grupo de amigos e colegas, que assim prestam homenagem à sua memória e ao seu legado. Trata-se de uma série de artigos e capítulos de livros, escritos entre 1999 e 2020, que se encontravam dispersos por diversas publicações científicas nacionais e internacionais, precedidos por um inédito, mais concretamente uma das últimas comunicações orais que Esposito proferiu e que versava um dos seus recentes interesses de investigação: a relação de Rossini com a realeza portuguesa. A ordenação dos textos parte do mais recente para o mais antigo, permitindo acompanhar em retrospectiva o seu percurso como investigador e temáticas que lhe eram caras, para as quais contribuiu com perspectivas inovadoras: da vida musical e do associativismo profissional dos músicos na Lisboa liberal à actividade pianística em Nápoles, passando pela crítica musical. Em vários destes textos é possível descortinar a questão que conduzia o seu trabalho nos últimos anos e viria a dar origem ao projecto a que se dedicava quando foi surpreendido pela morte: «Ser Músico em Portugal». ****************************************************** «Num contexto tradicionalmente caracterizado pelo protagonismo das estrelas das companhias italianas e que não permite ainda a emancipação dos serviços tradicionais constituídos por funções privadas e públicas e, em definitivo, de um sistema de encomendas e patrocínios que remete para uma prática e uma mentalidade musical de cunho antigo, o músico lisboeta geralmente é marcado, nestes anos, por um forte sedentarismo e, dado em parte consequente, por um forte corporativismo que parecem nos antípodas do individualismo intrínseco ao novo concertismo oitocentista» (p. 122).

Índice:

Para o Francesco... Um poema e uma canção

Prefácio

1. «Fin qui ho parlato […] del solido, ora passo al liquido»: l’antidiplomatico Rossini e i suoi rapporti con i reali portoghesi

2. The concertante symphony as «musical metaphor»: the role of orchestral music in the concert practice of liberal Lisbon (1822-1853)

3. Os primeiros passos em direcção à crítica musical: algumas
considerações sobre a presença da música na imprensa da Lisboa
liberal (1822-1855)

4. En dirección a la América del Sur: los pasos ibéricos de Sigismund Thalberg y la modernización de la actividad concertistica del siglo XIX

5. Um «mediocre divertimento»: concertos, benefícios e academias
em Lisboa entre 1822-1833

6. Uma «Orchestra Chronométrica»: acções proto-sindicais e aspirações monopolísticas dos músicos do Teatro de São Carlos no reinado de D. Maria II (1834-53)

7. Controllo monopolistico e strategie proto-sindacali: le iniziative dell’Irmandade de Santa Cecília nella Lisbona liberale (1833-1853)

8. «Liszt al rovescio»: la difficile relazione del pianismo portoghese di metà ottocento con i modelli stranieri

9. Para um possível re-equilíbrio da relação homem/som na sociedade contemporânea: algumas indicações metodológicas de ecologia acústica aplicadas ao ensino da música

10. L’età «farrobiana»: caratteristiche e tendenze della vita musicale della Lisbona liberale (1833-1853)

11. Recensão a A Sinfonia em Portugal, Alexandre Delgado
(Lisboa, Caminho, 2002)

12. Lisbona 1822: la vita musicale attraverso la stampa periodica

13. O sucesso de Verdi na música pianística: as edições musicais
lisboetas do século XIX

14. L’attività pianistica a Napoli al tempo di Alessandro Longo:
Costantino Palumbo

15. Aggiornamento e continuità nel pianismo napoletano dell’Ottocento: Francesco Lanza (1783-1861)

Referências bibliográficas dos ensaios publicados neste volume


* * * * *


AUTOR:

FRANCESCO ESPOSITO (1964-2020) diplomou-se em Piano e História da Música em Nápoles, antes de se doutorar em Ciências Musicais na Universidade Nova de Lisboa. Foi investigador do CESEM e do INET -md (NOVA FCSH), membro do Caravelas – Núcleo de Estudos da História da Música Luso-Brasileira e co-IR do projecto PROFMUS – Ser Músico em Portugal: a condição socioprofissional dos músicos em Lisboa (1750-1985). Leccionou em diversas instituições portuguesas e foi autor de vários artigos e de uma importante monografia sobre a vida musical lisboeta oitocentista: «Um Movimento Musical como nunca houve em Portugal»: Associativismo musical e vida concertística na Lisboa liberal (Colibri 2016). Em 2011 venceu a V edição do Prémio Liszt, com um ensaio sobre a estadia de Franz Liszt em Lisboa em 1845.

Detalhes:

Ano: 2023
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 426
Formato: 23x16
ISBN: 9789895662364
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
19/01/2023
Nos 100 anos de EUGÉNIO DE ANDRADE
Três OBRAS sobre O POETA, nascido no Fundão em 19 de janeiro de 1923 e que nos deixou em 13 de junho de 2005 "O Marulhar de Versos Antigos – A Intertextualidade em Eugénio de Andrade", da autoria de João de Mancelos "Uma Canção no Vento – A Poesia de Eugénio de Andrade", da autoria de João de Mancelos "Noite e Dia da Mesma Luz – Aspectos da poesia de Eugénio de Andrade", da autoria de Federico Bertolazzi

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]