Padre Diogo Pires Cinza (Séc. XVI XVII)

Um Beirão e Homem de Cultura Esquecido




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

Natural de Alpedrinha, Diogo Pires Cinza entrou no mundo dos vivos, segundo indícios fiáveis, no já longínquo ano de 1572. Descendente de família muito antiga, numerosa e ilustre, seguiu a vida sacerdotal, concluindo a formação eclesiástica por volta de 1600. ¶ Após passagem efémera por uma paróquia da sua Diocese (Guarda), rumou à capital do reino onde desempenhou o seu múnus durante cerca de 18 anos (1602?-1620) e ali escreveu cinco obras literárias, ficando na história como presbítero/escritor. Regressou à terra natal em 1624, onde colaborou com os vigários locais, enquanto a saúde lho permitiu, até meados de 1637. Terá falecido no termo de 1642, com cerca de 71 anos. ¶ Nesta obra o autor recupera o historial de vida do injustamente esquecido, erudito seiscentista, Padre Diogo Pires Cinza, cuja vivência, talvez um tanto sui generis, aconteceu à frente do seu tempo. ********************************************************* E assim, só temos que agradecer ao Dr. Francisco Nogueira por, generosamente, nos ter presenteado com estes valiosos contributos. Nascido na Póvoa de Atalaia (terra do autor de “As mãos e os frutos”, ou “Os amantes sem dinheiro” – é bom não esquecer), criou-se no Monte da Touca (Alpedrinha), andou pela Guarda e pelo Fundão, pelas Índias, Angolas e outras “partidas” do mundo, até se licenciar em Gestão do Desenvolvimento e Cooperação Internacional; mas o seu apego ao seio matricial do sul da Gardunha persistiu sempre. Daí podermos afirmar que, mais uma vez, prevaleceu o amor filial. ¶ Sim. Este «Pe. Diogo Pires Cinza», clérigo e escritor beirão quase ignorado e homem à frente do seu tempo, tinha de ser personagem destas bandas do granito e do saibro, terras que de abundante pouco mais tiveram do que o sol e (alguma) água – como poetou Eugénio. E tinha de haver alguém que o subtraísse à injusta desmemória dos tempos e lhe desvendasse os inquestionáveis méritos. Por isso, podem crer: conforme ao que eu próprio já testemunhara no proémio do seu primeiro livro, novamente, aqui, Francisco Belo Nogueira pôs amor naquilo que fez. ¶¶ [JOAQUIM CANDEIAS DA SILVA (da Academia Portuguesa da História)]

Índice:

AGRADECIMENTOS

APRESENTAÇÃO

NOTA PRÉVIA

CAPÍTULO I INTRODUÇÃO

CAPÍTULO II AS RAÍZES DOS «CINZA», DE ALPEDRINHA
1. Origens remotas
2. Origens Próximas

CAPÍTULO III A VIVÊNCIA DO DIOGO PIRES CINZA,
ANTES DE INICIAR A FORMAÇÃO ECLESIÁSTICA
1. Infância, Juventude e Instrução escolar básica
2. Formação Preparatória e Teológica

CAPÍTULO IV «CURA» EM SÃO MIGUEL D’ACHA, NA DIOCESE DA GUARDA

CAPÍTULO V MUITOS ANOS EM LISBOA NO DESEMPENHO DO SEU MÚNUS E DEDICADO À PRODUÇÃO LITERÁRIA
1. Capelão de Alta Entidade do Reino (1602? - 1620)
2. «Cura» na Freguesia de Santa Cruz do Castelo (1610 -1620)

CAPÍTULO VI O RETORNO ÀS ORIGENS
1. Cura» e, ocasionalmente, «Vigário encomendado» em Alpedrinha
(Mai/1624-fins de Jul/1637), com estada curta, em Abr/Mai/1629, na paróquia de São Lourenço (Soalheira).
2. De fins de Jul/1637 até ao seu falecimento ocorrido, talvez,
entre meados e o termo de 1642 ou (pouco provável) já
no ano seguinte (1643).

CAPÍTULO VII OS DESCENDENTES DIRECTOS
(CONHECIDOS)

CAPÍTULO VIII ANA (PIRES), SUA ESCRAVA

CAPÍTULO IX AS OBRAS ESCRITAS DE QUE FOI AUTOR

CAPÍTULO X O PADRE DIOGO PIRES CINZA, «ORADOR» DO SÉCULO XVII

CAPÍTULO XI INFLUENTE NA EDIFICAÇÃO DA CAPELA DE NOSSA «SENHORA DA CONCEIÇÂO» NO MONTE DA TOUCA?

CAPÍTULO XII DOIS «CINZA» MÉDICOS, EM ALPEDRINHA, NO SÉCULO XVII

NOTA FINAL

ANEXOS

BIBLIOGRAFIA


* * * * *


AUTOR:

FRANCISCO BELO NOGUEIRA nasceu na Póvoa de Atalaia (Fundão), tendo concluído o ensino primário no Colégio do Outeiro de S. Miguel – Guarda. Em 1949 ingressou no Seminário do Fundão que frequentou durante alguns anos. Iniciou o serviço militar em 1955 e após o Curso de Sargentos Milicianos foi mobilizado para o ex-Estado Português da Índia, tendo posteriormente cumprido duas comissões militares na ex-colónia de Angola, onde se fixou em 1970 como funcionário ultramarino. Em 1975 regressou a Portugal, concluindo, anos depois, a licenciatura em Gestão do Desenvolvimento e Cooperação Internacional.
Amante do passado histórico do seu concelho natal, publicou em 2009 o livro “Monte da Touca (Alpedrinha) – Registos acerca de um povoado secular onde o tempo (quase) parou”, cruzando-se no decurso das respectivas pesquisas documentais com pormenores da vida do padre Diogo Pires Cinza, os quais estão na génese da presente publicação.

Detalhes:

Ano: 2022
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 122
Formato: 21x15
ISBN: 9789895662272
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
03/12/2022
MUNDO(S) – Livro 20, coord. Ângelo Rodrigues, e DO PRINCÍPIO E DO FIM, da autoria de Ângelo Rodrigues
LANÇAMENTO: dia 3 de Dezembro (sábado), na SNBA, em Lisboa

03/12/2022
GENTE DA NOSSA TERRA, da autoria de Francisca Lopes Bicho
LANÇAMENTO: 3 de dezembro (sáb.), às 16h00, na Casa Fialho de Almeida, em Cuba

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]