Arronches com Vida – Memórias e Afetos

Restaurantes, Cafés e Coletividades – Anos 60




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Diogo Júlio Serra

Sinopse:

O presente trabalho pretende trazer ao conhecimento dos mais jovens as memórias de quem viveu e cresceu em Arronches numa época em que os tempos de lazer eram diminutos e os espaços de socialização eram escassos e marcados por um férreo controlo social. ¶ Falar de espaços de convívio e lazer num tempo em que as mulheres estavam circunscritas ao lar e às tarefas domésticas é falar nos espaços é falar nos espaços e momentos de convívios dos homens e dos rapazes. ¶ Tabernas, cafés e colectividades recreativas e culturais eram os espaços de convívio, fora do ambiente laboral, existentes no concelho. ¶ A taberna era, à época o principal local de socialização dos habitantes (homens) do concelho. ¶ Era na taberna, entre um copo, quantas vezes fiado, dois dedos de conversa e uma partida de cartas que se escondia o desespero pelo trabalho que faltava e a preocupação pelos salários de miséria, mas também era ali que se esgrimiam fanfarronices e orgulhos, se celebravam as pequenas vitórias e os momentos menos maus de um viver que era tudo menos fácil. ¶ Era também ali que se aguardava que os capatazes e manajeiros dos lavradores os procurassem para se integrarem nos trabalhos da lavoura. ********************************************************** Nascido e criado numa família de barbeiros, cozinheiros e mestres artesãos, Diogo cresceu entre a escola e o trabalho, que logo após os 11 anos teve que abraçar. ¶ Por força das circunstâncias, passou a estudar no regime nocturno e começou a trabalhar com o pai, Mestre Alexandre Mendes Serra, carpinteiro de profissão mas nunca deixou de estudar. ¶ E é talvez, pelo facto de ter vivido entre estas duas realidades que pôde ser narrador e personagem do pedaço de história que nos apresenta. ¶ O autor através da identificação e caracterização dos espaços de convívio local, propõe uma viagem aos anos 60/70 do século passado e a análise das várias dimensões da comunidade. Com a descrição dos locais gastronómicos: cafés, tascas e estalagens remete-nos para a forma como estava estratificada a sociedade, com os devidos protagonistas, o camponês e o lavrador; o funcionário público e a pequena burguesia urbana. ¶¶ [MARIA MARGARIDA SERRA]

Índice:

Prefácio

Nota Introdutória


AS TABERNAS UM “OÁSIS” NUM DESERTO DE BEM-ESTAR
Taberna do Cainó
Casa João Feiteira
A Estalagem do Torrinha
Casa Tavares Grilo
Casa Damásio
Estalagem do Pancadas
Taberna do Vieira
Taberna do Carlos
Taberna do Feiteira
Taberna do Trabuco
Taberna do Pombo
Taberna do Casadinho
Taberna do Zé Gadêncio
Taberna do Esteves


CAFÉS E RESTAURANTES
Café Sarnadas
Café Lopes
Café Portugal
Café Lusitano
Pensão Tavares
Pensão Salgueiro
Fotografias


AS COLETIVIDADES
Centro Republicano Arronchense
Atlético Clube de Arronches
Sport Arronches e Benfica

DOIS IMPORTANTES MOMENTOS DE CONFRATERNIZAÇÃO
As sortes
O dia da matança

AS RECEITAS DAS IGUARIAS SERVIDAS NAS TASCAS, RESTAURANTES E PENSÕES
Taberna do sr. Damásio
Estalagem do Torrinha/ Restaurante a Estalagem
Taberna do Feiteira (hoje A Cabana)
Taberna do Pombo
Taberna do Zé Gadêncio
Café Sarnadas
Café/Restaurante Lusitano
Pensão Salgueiro
Bar do Centro Republicano Arronchense
Bar do Atlético


* * * * *


AUTOR:

DIOGO JÚLIO Cleto SERRA nasceu em Arronches, Alto Alentejo, em 1953. É Gestor de Projetos e Consultor Cultural e Turístico. Licenciado em Animação Educativa e Sociocultural, especializou-se em Animação Turística e desenvolve estudos em Património Cultural Imaterial. É Vogal da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (suplente), do Comité de Acompanhamento do “Alentejo 2020” e do Conselho Regional do Alentejo do IEFP. Coordenou a União dos Sindicatos do Norte Alentejano até 2012 e integrou a Direção Nacional da CGTP-Intersindical Nacional até 2015. É vice-Presidente da Cooperativa Operária Portalegrense e Presidente do Grémio Transtagano, duas associações centenárias sedeadas em Portalegre. Colabora regularmente em vários órgãos de comunicação social.

Detalhes:

Ano: 2022
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 128
Formato: 22,5x15,5
ISBN: 9789895662043
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
03/12/2022
MUNDO(S) – Livro 20, coord. Ângelo Rodrigues, e DO PRINCÍPIO E DO FIM, da autoria de Ângelo Rodrigues
LANÇAMENTO: dia 3 de Dezembro (sábado), na SNBA, em Lisboa

03/12/2022
GENTE DA NOSSA TERRA, da autoria de Francisca Lopes Bicho
LANÇAMENTO: 3 de dezembro (sáb.), às 16h00, na Casa Fialho de Almeida, em Cuba

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]