Crónica das Greves dos Médicos em 1970 e 1971




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

Em 1970 e 1971, em pleno consulado de Marcello Caetano, a crise no sector da Saúde atingia proporções inéditas, levando à sublevação dos jovens médicos Internos, cujas greves mereceram a solidariedade dos demais médicos dos Hospitais Centrais, paralisando o seu funcionamento. O grave assunto chegaria à Assembleia Nacional pela voz do Prof. Miller Guerra, deputado da Ala Liberal e também Bastonário da Ordem dos Médicos, que apresentou a sua demissão ao Ministro da Saúde. “A Assembleia Nacional e o País conhecem, menos bem do que deviam se houvesse liberdade de Imprensa, o que sucede nos hospitais centrais: a falta colectiva [dos médicos Internos] ao teste que finaliza o segundo ano do internato, a exoneração imediata dos médicos que faltaram [cerca de 300], o seu impedimento de entrada nos serviços hospitalares, a ‘abstenção burocrático administrativa’ [greve] por solidariedade dos Internos dos outros anos, a ocupação das Direcções dos Hospitais por médicos do Exército [a chamada “junta de coronéis”]. As repercussões que tudo isto tem, teve e virá a ter dentro e fora das fronteiras são incalculáveis e deprimentes. A “insubordinação” dos médicos Internos é tão só o produto de uma longa acumulação de acontecimentos. A desorganização dos hospitais vem de longa data, agravando-se gradualmente e atingindo o ponto culminante nos últimos dois ou três anos. Visite-se essa espécie de campo de concentração que é o Banco do Hospital de S. José!”. ¶¶¶ [Extractos da Intervenção do Prof. Miller Guerra na Assembleia Nacional, em 9 de Dezembro de 1971.]

Índice:

Apresentação

Tábua cronológica sumária

Introdução

Capítulo I: Sobre a origem da fonte documental respeitante às greves ocorridas nos Hospitais Públicos de Lisboa em 1970

Capítulo II: 1970 – Greves de solidariedade e reivindicativas

Capítulo III: 1971 – Greve de protesto contra o cerceamento de progressão na carreira hospitalar

Capítulo IV: Considerandos finais

Bibliografia consultada



* * * * *



AUTOR:

João Augusto DAVID DE MORAIS nasceu em Angola, mas reside e exerceu as suas actividades profissionais em Évora desde 1976. Em Portugal, licenciou-se, doutorou-se e fez a agregação em Medicina, especializando-se, sucessivamente, em Medicina Interna, Infecciologia e Medicina Tropical. Na Bélgica, obteve o master’s degree em Saúde Pública, no Institut Prince Leopold, de Antuérpia. No Istituto di Parassitologia da Universidade La Sapienza, de Roma, estagiou com a prestigia - da geneticista Prof.ª Lia Paggi, colaborando em estudos de subespeciação do parasita do quisto hidático, e cotejando-se as estirpes de Itália e de Portugal. No âmbito dos inquéritos internacionais da FAO, chefiou em Luanda, durante cerca de quatro anos, o "Gabinete de Estudos e Publicações" da “Missão de Inquéritos Agrícolas de Angola”, coordenando o apuramento estatístico dos inquéritos de campo e organizando a sua publicação em vários volumes. No domínio da actividade médica, dedicou-se à investigação epidemiológica e clínica, descrevendo em Angola os primeiros casos de esplenomegália macroglobulinémica de Charmot (esplenomegália malárica hiper-reactiva) e os primeiros casos de schistosomose mansoni nas regiões centro e norte. Em Portugal, descreveu os primeiros casos de larva migrante visceral no Alentejo e, em colaboração, os primeiros casos portugueses de borreliose de Lyme, bem como o primeiro caso europeu de erlichiose humana, publicado na revista Lancet. No âmbito da actividade docente universitária, foi assistente das disciplinas de Patologia Médica e de Terapêutica Médica do Curso Médico-Cirúrgico da Universidade de Luanda (1972-1975). Como Professor Convidado da Universidade de Évora, com a qual colaborou durante cerca de 30 anos, leccionou as disciplinas de Ecologia Humana, Parasitologia Humana e Antropologia Aplicada. Colaborou também em diversos mestrados e cursos de pós-graduação, no País e no estrangeiro. Publicou cerca de 150 trabalhos científicos e vários livros, nas áreas da Medicina, Epidemiologia, Ecologia Humana, Antropologia Social e Religiosidade Popular. No domínio da Literatura, publicou ficção, conto e poesia. Foi galardoado com 15 prémios por trabalhos científicos, e agraciado com as medalhas de Grau Ouro do Ministério da Saúde e da Câmara Municipal de Évora, e com a Medalha de Mérito da Ordem dos Médicos.

Detalhes:

Ano: 2022
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 218
Formato: 23x16
ISBN: 9789895661732
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
01/10/2022
ALDEIA NOVA DE SÃO BENTO, da autoria de José Saúde
LANÇAMENTO: 1 de Outubro de 2022 (sáb.), às 16h00, no Auditório de Alfornelos, na Amadora. Apresentação: Domingos Galamba. Cante com o Grupo Coral Alentejano da Amadora – SFRAA

30/09/2022
ELVAS – EXPANSÃO DA CIDADE, da autoria de Maria Luísa Cidraes
LANÇAMENTO: 30 de Setembro de 2022 (6.ª feira), às 18h30, na Biblioteca Municipal “Dr.ª Elsa Grilo”, em Elvas. Apresentação: Doutor Nuno Cruz Grancho

25/09/2022
CAMPO MAIOR NO CENTRO DE UM CONFLITO INTERNACIONAL, da autoria de Rui Rosado Vieira
APRESENTAÇÃO: 25 de Setembro de 2022 (domingo), às 16h00, no Auditório do CIFA, em Campo Maior. Apresentação: Tenente-General Rui Manuel Clero (General-Comandante Geral da GNR)

24/09/2022
ARRONCHES COM VIDA!, da autoria de Diogo Júlio Serra
LANÇAMENTO: 24 de Setembro de 2022 (sáb.), às 15h30, na Biblioteca Municipal de Arronches. Apresentação: Professores Daniel José Pereira Balbino e Moisés Cayetano Rosado

23/09/2022
SERRA DE SÃO MAMEDE – ALTO ALENTEJO, da autoria de Ana Paula d’Ascensão
LANÇAMENTO: 23 de Setembro de 2022 (6.ª feira), às 18h00, no Portalegre Palace Hotel. Apresentação: Professor Jorge de Oliveira (Universidade de Évora)

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]