Mesa da Consciência e Ordens Militares

O Sistema de Informação (século XVIII)




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Nelson Vaquinhas

Sinopse:

O [presente livro] cruza valências de proveniência diversa, em especial da História Institucional, da Arquivística e da Diplomática, num profícuo diálogo interdisciplinar. Tudo foi articulado por princípios de análise sistémica, devedores dos estudos seminais de Ludwig von Bertalanffy, bem como da sua aplicação aos sistemas de informação, no âmbito da ciência da informação, de que o livro “Information tasks: toward a user-centered approach to information systems” (1996), de Bryce Allen, é uma referência. ¶ Pelo olhar atento do autor, é o quadro humano / institucional da Mesa da Consciência e Ordens, que emerge com a reconstituição e a estruturação possíveis de identificar, os contextos e as interações estabelecidas entre as instituições e, sobretudo, os indivíduos, que nelas representavam papéis distintos. Através de um estudo orgânico-funcional, identificam-se os seus órgãos, a estrutura de cargos e as respetivas competências (Parte I). Depois, em jeito de ensaio e a título de exemplo, são revelados alguns fluxos de informação: as habilitações para a obtenção de hábitos, a nomeação de comissários e escrivães, os provimentos de oficiais e os provimentos em igrejas e benefícios (Parte II). Aqui a descrição foi intencional e teve em vista apresentar as variantes que esses fluxos podiam assumir. Por último, da relação entre o todo e as partes, emergem o sistema de informação da Mesa da Consciência e os subsistemas de informação, os modos de localizar e recuperar a informação, designadamente através de índices, organizados temática e alfabeticamente, inventários e catálogos (Parte III). […] ¶ Pelo exposto, este é um estudo singular, rigoroso e de qualidade, desenvolvido em contexto académico, fundamentalmente alicerçado na investigação documental e no método comparativo, que mereceu os elogios do júri, quando da sua defesa, e, sobretudo, a recomendação da sua publicação. No entanto, é também um estudo acessível a um público mais vasto, que se interesse pelo estudo das ordens militares, ou tão simplesmente por aumentar o seu conhecimento sobre a temática, e exemplar no percurso a seguir, por arquivistas e não arquivistas, que se dediquem ao estudo dos sistemas de informação pretéritos. ¶¶¶ [Fernanda Olival (Universidade de Évora; CIDEHUS) Carlos Guardado da Silva (Univ. Lisboa, Fac. Letras; Centro de Est. Clássicos)]

Índice:

O passado deste livro e os seus porquês


Introdução


Parte I – A instituição orgânico-funcional

1. Estudo orgânico-funcional
1.1. A Mesa da Consciência no sistema polissinodial
1.2. As competências e os regulamentos
1.3. O ofício de escrivão como observatório de funcionalidades

2. Legado arquivístico: lacunas e história custodial
2.1. As compilações de Lázaro Leitão Aranha
2.2. O terramoto de 1755
2.3. A extinção da Mesa da Consciência e Ordens e as incorporações na Torre do Tombo


Parte II – Gestão da Informação: ensaio de abordagem

1. Habilitações para a obtenção de hábitos
1.1. A pátria comum
1.2. Para muitos, o início do processo
1.3. O despachar dos negócios e papéis. Pagamentos
1.4. As inquirições
1.5. A apreciação dos autos
1.6. Memoriais e estudos genealógicos
1.7. Entraves no processo
1.8. Ofícios mecânicos
1.9. Menoridade e maioridade
1.10. Falta de notícias
1.11. Ser accionista das companhias pombalinas
1.12. Os donativos
1.13. As entropias
1.14. Malogros
1.15. Mesa versus Rei e o fim do processo
1.16. Do lançamento do hábito à profissão
1.17. Transitar de uma Ordem para outra

2. Nomeação de comissários e escrivães

3. Provimentos de oficiais
3.1. A propriedade do ofício
3.2. “Nomeação” de ofício patrimonializado
3.3. Nomeação para um ofício não patrimonializado
3.4. A serventia de ofícios
3.5. Os escrivães das Ordens Militares

4. Provimentos em igrejas e benefícios
4.1. O padroado das Ordens Militares
4.2. A carreira eclesiástica e o fluxo de oposições a concursos
4.3. Ponha-se a concurso
4.4. O início do processo
4.5. As habilitações e as dispensas de impedimentos
4.6. O exame
4.7. Da consulta ao auto de posse

5. Análise tipológica e diplomática


Parte III – O Sistema de Informação

1. Núcleo central e interacções
1.1. A Mesa e as secretarias
1.2. Secretaria das Mercês
1.3. Santo Ofício
1.4. Desembargo do Paço
1.5. Ordinários e párocos
1.6. Torre do Tombo
1.7. Os cartórios de outras instituições em casas de morada

2. Subsistemas de informação
2.1. Os conventos
2.2. Os juízos das Ordens
2.3. As igrejas

3. Práticas de regulação e interacções
3.1. As visitas
3.2. Acesso e comunicação dos documentos
3.3. Organização dos cartórios

Conclusão

Fontes

Bibliografia


* * * * *


AUTOR:

NELSON VAQUINHAS – Chefe da Divisão de Arquivo e Documentação da Câmara Municipal de Loulé.
Licenciado em História pela Universidade de Évora, com pós-graduação em Ciências Documentais pela Universidade do Algarve. Mestre em Arquivos, Bibliotecas e Ciência da Informação e doutor em Ciências da Informação e da Documentação pela Universidade de Évora.
Membro do CIDEHUS-UÉ.

Detalhes:

Ano: 2021
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 448
Formato: 23x16
ISBN: 9789896899301
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
19/12/2022
DIÁLOGOS COM A MENTE, da autoria de Maria Ganhão Pereira
LANÇAMENTO: 19 de Dezembro de 2022 (2.ª feira), às 19h00. Hotel PortoBay Liberdade. Apresentação: Pedro Cordeiro (Expresso); Catarina Furtado (RTP)

03/12/2022
GENTE DA NOSSA TERRA, da autoria de Francisca Lopes Bicho
LANÇAMENTO: 3 de dezembro (sáb.), às 16h00, na Casa Fialho de Almeida, em Cuba

03/12/2022
MUNDO(S) – Livro 20, coord. Ângelo Rodrigues, e DO PRINCÍPIO E DO FIM, da autoria de Ângelo Rodrigues
LANÇAMENTO: dia 3 de Dezembro (sábado), na SNBA, em Lisboa

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]