Um Cântico à Natureza




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Félix Heleno
Temas: Poesia Popular

Sinopse:

«Perguntam-me muitas vezes quando comecei a escrever, quando escrevo e porque escrevo. Sinceramente não consigo explicar em concreto quando comecei a escrever, porque tenho escrito e porque vou continuando a escrever.» ¶ Este livro é também uma homenagem à minha irmã Alexandrina – a minha única professora. [FÉLIX HELENO] ******************************************************** Tenho o privilégio de conhecer Félix Heleno há vários anos, e, entre outras nobres características do nosso amigo e poeta, tais como a “nobreza de espírito”, a “grande generosidade” – que todos reconhecem – bem como a “capacidade pouco comum de fazer amigos”, há outras duas que se se destacam, porque nos envolve e influencia, nos fascina, inspira e galvaniza: o seu “humanismo autêntico” e a sua “peculiar sagacidade” (esta última, como ele muito bem reconhece, da qual se orgulha, aceita e ama, conseguida na designada “Escola da Vida”). [ÂNGELO RODRIGUES] ******************************************************** Todo aquele que inventa, que projeta, que investiga e que embeleza, que trabalha e realiza, seja em que profissão for, tenha ele a cor que tiver, professe a religião que professar, desde que não despreze a génese da vocação para que foi predestinado e que tenha como principal objetivo a sua realização como contributo da concretização do bem comum, esse, para mim, é o verdadeiro poeta. [FÉLIX HELENO]

Índice:

GRATIDÃO

INTRODUÇÃO AO AUTOR

PREÂMBULO

CAPÍTULO I UM CÂNTICO À NATUREZA
Um cântico à Natureza
A cor do céu
A Terra
A Terra e o Mar
O tempo não para
Quando o vento sopra
Ao Mar
De janeiro a dezembro
Ao Sol
Numa manhã de sonho
A luz do dia
A noite
Numa manhã em Sintra
Fumador
O dito por não dito
Memórias da natureza
As flores
O perfume de uma rosa
A flor da ilusão
Sons e ritmos
Aparências
O “reino” da poesia
A selva
O pão da vida
Aldeias do meu país
Na cidade
Numa tarde de novembro
Ruídos
Lágrimas de chuva
O ar que respiramos
O endeusamento do poder
Não basta saber
Passagem
Se assim não for
Um “hino” à corrupção
Demagogia
A saúde
À procura de palavras

CAPÍTULO II INTIMIDADES
Intimidades
Lágrimas
O meu dilema
Viajar nas nuvens
A natureza humana
Procura
A dor dos inocentes
Infância dolorida
O mundo e o medo
Desespero
A nova aurora
Poetas nunca lidos
Despedida do poeta
O vício
O Verbo Ser e o Verbo Haver
A “Terra Prometida”
O livro

Detalhes:

Ano: 2021
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 86
Formato: 20,5x14,5
ISBN: 9789895660957
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
26/10/2021
ARQUEOLOGIA, PATRIMÓNIO E MUSEUS – Meio Século de intervenção Cívica e Cultural, da autoria de Luís Raposo
LANÇAMENTO: dia 26 de outubro (3.ª feira), às 18h30, na Casa do Alentejo, em Lisboa. Apresentação: Nuno Pacheco (Jornalista)

23/10/2021
ALENTEJO (S) – Imagens do Ambiente Natural e Humano na Literatura de Ficção, coord. de Ana Cristina Carvalho e Albertina Raposo
LANÇAMENTO: dia 23 de outubro (sábado), às 16h00, Casa Fialho de Almeida em Cuba. Apresentação: Professor Vítor Encarnação

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

19/03/2018
A Colibri na Rádio Horizonte (92.8)
Clique no menu "Links" para aceder ao canal do Youtube

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99