As Comunidades Sefarditas e a Nação Portuguesa

(Séculos XVI-XVII




Recomendar livro a um amigo
Colecção: Travessias

Sinopse:

“Esta obra de grande fôlego só se explica pelo longo percurso de pesquisa transcorrido por esta investigadora, cujo doutoramento em 2007 já foi um bom prenúncio. Nessa altura a nova doutora foi incentivada a continuar a sua pesquisa inédita, difícil, demorada e custosa, na medida em que parte das fontes estavam longe e de consulta árdua. Havia que prosseguir também a investigação em vários arquivos portugueses e obviamente cruzar uma enorme série de dados, para além de seguir toda uma bibliografia que ia saindo e constituiu um suporte precioso. (…) ¶ A tese de doutoramento foi a base, a pedra angular para esta obra onde a autora como investigadora demonstra bem ser culta, sagaz, meticulosa, perfeccionista.” ¶¶ [ELVIRA MEA (prefácio)]

Índice:

Prefácio

Agradecimentos

Introdução

Capítulo I A Quadratura do Círculo ou a Similitude Possível
1. A Sociedade em Mudança
1.1. Paradigmas e Teorizações do Real
1.2. Poder, Conflito e Cooperação
1.3. A Sociedade: Discriminação e Assimilação
1.4. Família e Sociedade Moderna: Duas Faces duma mesma Realidade
1.5. Mobilidade Social

2. A Identidade Sefardita
2.1. O Mito de Sefarad
2.2. Vivências Religiosas
2.3. Cripto-Judaísmo
2.4. Dualidade e Pluralidade
2.5. Características Étnicas e Culturais

3. A Emergência de Novo Modelo Económico
3.1. Complexo Histórico-Geográfico e Centros de Economia-Mundo
3.2. Redes Comerciais e Financeiras
3.3. Eixo Lisboa-Antuérpia
3.4. Conceito de Casa ou Sociedade
3.5. Grupos e Comunidades Mercantis
3.6. A Elite Mercantil e os Jogos de Poder

Capítulo II As Comunidades: Mercantis, Cristãs-Novas e/ou Sefarditas
1. A População Portuguesa e a Minoria Sefardita
1.1. População Portuguesa
1.2. A Legislação em Vigor
1.3. Perdões Gerais, Fintas e Autorizações Régias de Saída
1.4. Épocas de Prováveis Fluxos Emigratórios de Sefarditas

2. As Comunidades
2.1. Comunidade Mercantil de Lisboa e Ligações a outras Cidades
2.2. A Feitoria e a Nação Portuguesa de Antuérpia
2.3. Burgueses Portugueses em Antuérpia
2.4. A Nação Portuguesa de Antuérpia e sua Estrutura Interna
2.4.1. Períodos de Funcionamento da Feitoria e da Nação Portuguesa
2.5. A Perseguição por Motivos Religiosos e o Caso de Diogo Mendes
2.6. As Esnogas ou Casas de Culto
2.6.1. A Esnoga dos Cáceres
2.6.2. A Esnoga das Irmãs Veiga
2.6.3. Outras Esnogas e a da Langeniewstraat

3. Redes inter-comunitárias, filantropia e mecenato
3.1. As Redes de Auxílio aos mais Pobres
3.2. O Relacionamento com o Poder e o Apoio a Estudantes
3.3. O Mecenato da Nação Portuguesa em Antuérpia
3.3.1. Entrada do infante D. Filipe (1549)
3.3.2. Entrada de Alexandre Farnese, Duque de Parma (1585)
3.3.3. Entrada do Arquiduque Ernesto de Áustria (1594)
3.3.4. Entrada do Arquiduque Alberto e Infanta Isabel (1599)

Capítulo III Os Intervenientes
1. Elites Mercantis Sefarditas ligadas ao Eixo Lisboa-Antuérpia
1.1. Os Mendes de Brito
1.2. Os Mendes em Antuérpia
1.3. Os Ximenes, Veiga e Rodrigues de Évora
1.4. Os Teixeira/Faleiro
1.5 Os Azevedo e Paz

Conclusão

ANEXOS
Critérios de Transcrição de Documentos
I. Sentença de D. Henrique Anexa ao Processo de Fernão Lopes Lopes
II. Sentença de D. Filipe I Anexa ao Processo de Fernão Lopes Lopes
III. Carta de Cidadãos de Lisboa a Nuno Henriques e Henrique Nunes
IV. Autorizações de Saída do Reino e de Vendas de Bens
V. Cartas de Cidadão de Lisboa e Porto
VI. Cartas de Mercador Alemão
VII. Governadores dos Países Baixos (1530-1633)
VIII. Feitores e Cônsules de Antuérpia
IX. Tesoureiros de Antuérpia
X. Secretários/Escrivães de Antuérpia
XI. “Marranos” Estabelecidos em Antuérpia (1540)
XII. Burgueses de Antuérpia
XIII. Portugueses Presentes na Tomada de Posse dos Cônsules Nomeados pelo Rei (12/11/1553)
XIV. Mercadores Notificados a Pagar Tributo das suas Mercadorias
(18/9/1570)
XV. Lista Portugueses com Família em Antuérpia (1571)
XVI. Portugueses Residentes em Antuérpia (23/2/1571)
XVII. Lista dos Portugueses Estabelecidos em Antuérpia com Direito a Cerveja (3/11/1572)
XVIII. Lista dos Portugueses e Viúvas que Vivem em Antuérpia
(23/2/1591)
XIX. Nação Portuguesa (1604)
XX. Lista de Portugueses em Antuérpia (1611)
XXI. Lista da Nação Portuguesa (s. d.)
XXII. Memória da Nação Portuguesa (s. d.)
XXIII. Lista de Portugueses (s. d.)
XXIV. Relação das Casas ou Famílias Portuguesas Incluindo Viúvas com os Mesmos Privilégios (1666)
XXV. Propriedades de Portugueses em Antuérpia
XXVI. Atitude dos Portugueses na Entrada do Príncipe Filipe em 1549 em Antuérpia Segundo Grapheus
XXVII. Atitude dos Portugueses na Entrada do Príncipe Filipe em 1549 em Antuérpia Segundo Calvete de Estrella
XXVIII. Número de Portugueses em Antuérpia (1525-1789)
XXIX. Pedido de indemnização de Diogo Mendes a Manuel da Fonseca, mestre do navio Santiago que veio do Algarve com figo, por danos na mercadoria
XXX. Carta de Rui Mendes à Rainha D. Catarina
XXXI. Carta de António Faleiro a Luís Vaz Pimentel
XXXII. Trelado do Regimento e Poder que se deu ao Baillio d’Auge pera em Arramua Reçeber a Naçam dos Navios purtugeses
XXXIII. Mercadores de Hamburgo e Correspondentes de Lisboa
XXXIV. Produtos Comerciados por cada Mercador
XXXV. Genealogia dos Mendes de Brito
XXXVI. Genealogia dos Mendes Benveniste, Henrique e Nunes
XXXVII. Genealogia de Rui Mendes
XXXVIII. Genealogia dos Ximenes, Rodrigues de Évora e Veiga
XXXIX. Genealogia dos Teixeira, Faleiro, Solis
XXXIX. Genealogia dos Fernandes de Elvas, Rodrigues de Elvas, Angel
XL. Genealogia dos Fernandes e Rodrigues Veiga
XLI. Genealogia dos Azevedo Paz

Siglas

Fontes e Bibliografia

Fontes

Fontes Manuscritas

Fontes Impressas e Digitais

Bibliografia

Obras de Referência Metodológica e Definição Teórica

Biografias, Genealogias e Relações de Nomes

Dicionários e Enciclopédias

Estudos e Bibliografia Geral

Índice de Ilustrações, Fotos e Gráficos

Índice de Quadros

Índice Remissivo



AUTORA:

FLORBELA VEIGA FRADE é natural de Borba e residente em Sintra desde os sete anos. É doutora em História Moderna (2007, Universidade de Lisboa) e foi bolseira de dois projectos de pós-doutoramento (2008-2010, Universidade do Porto e Institut für die Geschichte der deutschen Juden; 2011-2013, CHAM, UNL). Participou em vários projectos colectivos financiados pela FCT e Fundação Gulbenkian e numa COST Action financiada pela EU Framework Programme e pela European Science Foundation. Fez parte de júris internacionais de projectos e de várias revistas científicas. Leccionou no ensino secundário e universitário e participou em diversas obras colectivas. Também escreveu capítulos de livros e artigos em revistas indexadas. Fez dezenas de apresentações em colóquios nacionais e estrangeiros.
Durante a presidência de Gabriel Steinhardt, entre 2016 e 2020, integrou o conselho consultivo e de análise processual da Comunidade Israelita de Lisboa para atribuição da nacionalidade portuguesa aos descendentes de judeus portugueses.

Detalhes:

Ano: 2021
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 442
Formato: 23x16
ISBN: 9789895660599
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
26/10/2021
ARQUEOLOGIA, PATRIMÓNIO E MUSEUS – Meio Século de intervenção Cívica e Cultural, da autoria de Luís Raposo
LANÇAMENTO: dia 26 de outubro (3.ª feira), às 18h30, na Casa do Alentejo, em Lisboa. Apresentação: Nuno Pacheco (Jornalista)

23/10/2021
ALENTEJO (S) – Imagens do Ambiente Natural e Humano na Literatura de Ficção, coord. de Ana Cristina Carvalho e Albertina Raposo
LANÇAMENTO: dia 23 de outubro (sábado), às 16h00, Casa Fialho de Almeida em Cuba. Apresentação: Professor Vítor Encarnação

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

19/03/2018
A Colibri na Rádio Horizonte (92.8)
Clique no menu "Links" para aceder ao canal do Youtube

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99