Gramsci – Escritos Livres

(1910-1926)




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Rita Ciotta Neves

Sinopse:

ANTONIO GRAMSCI é hoje um autor muito difundido e conhecido em todo o mundo. É o ensaísta italiano mais estudado a seguir a Machiavelli. A sua fama cresceu de forma exponencial nos cincos continentes. Igualmente, e sobretudo nalguns contextos geo-culturais, depois do fim do seu Partido, do Partido que ele tinha, com outros, fundado em 1921 – o Partito Comunista d’Italia (Pcd’I), chamado Partito Comunista Italiano (Pci) desde 1943 – e depois do fim da União Soviética, “o país dos Soviet” como a definia Gramsci, ou seja, depois da crise no país onde tinha iniciado a história do comunismo do século XX. Podemos dizer que a fama e o conhecimento de Gramsci ultrapassaram largamente o tempo das formações políticas (o PCI e a URSS, o país- -guia da Terceira Internacional, ou Internacional Comunista, ou Comintern) em cujo âmbito ele viveu a sua vida madura de homem político e de pensador. ¶ As razões desta fama de Gramsci – estudada já há 3 décadas pela Unesco, tendo em conta a base de dados de todo o mundo, através de recensões de livros, ensaios e traduções de e sobre Gramsci em dezenas e dezenas de línguas – são múltiplas. Gramsci tornou-se, a partir dos anos 90, um autor de referência para correntes culturais e estudos especializados de vária ordem. ¶¶ [Guido Liguori (docente de História do Pensamento Político Contemporâneo na Universidade della Calabria, presidente da International Gramsci Society Italia e redator chefe da revista Critica Marxista)] ******************************************************* (...) O provinciano e frágil Gramsci, nos primeiros anos turineses, tem um desenvolvimento extraordinário: abre os seus horizontes, politiza-se, estuda e sobretudo começa a escrever. A sua colaboração com os jornais socialistas de então é intensíssima, duma fecundidade impressionante. Escreve sobre a cidade, sobre a cultura, sobre a Grande Guerra que se aproxima, sobre o socialismo, sobre o fascismo, sobre o enorme acontecimento da Revolução Russa, sobre os subalternos e a questão meridional. ¶ São anos frenéticos para a Itália e para toda a Europa, de transformações, de tragédias humanas e sociais provocadas pela guerra, de grandes esperanças e dolorosas derrotas. ¶ (...) A presente antologia tem justamente este intuito: explorar e dar a conhecer o complexo microuniverso do jovem Gramsci. Poliédrico, versátil, entusiasta, pleno de esperanças e de ideais como só um jovem, e um jovem genial como era o nosso autor, pode produzir. E, sobretudo, um universo livre, muito diferente do que será o seu desde a prisão. ¶¶ [Rita Ciotta Neves]

Índice:

Prefácio, por Guido Liguori

Introdução


ANTOLOGIA DE TEXTOS

1910
Oprimidos e Opressores (Ensaio escolar, redigido no último ano de liceu, 1910)

1913
Os Futuristas (Corriere Universitario I, 1913)

1914
Neutralidade ativa e operante (Il Grido del Popolo, 1914)
As duas neutralidades
O caso Mussolini
O mito da guerra
O que dirá o proletariado?

1915
Extremismo Nacionalista (Il Grido del Popolo, 1915)
A luz que se apagou (Il Grido del Popolo, 1915)

1916
Velharias (Avanti! Edizione piemontese, 1916, Cronache torinesi)
A história (Avanti!, 1916, Cronache torinesi)
Teatro e Cinematógrafo (Avanti!, 1916)
A guerra e as colónias (Il Grido del Popolo, 1916)
Homens ou Máquinas (Avanti!, 1916)
A Escola e a Oficina (Avanti!, 1916)
Ano Novo (Avanti!, 1916)
Socialismo e cultura (Il Grido del Popolo, 1916)

1917
Notas sobre a revolução russa (Il Grido del Popolo, 1917)
Indiferentes (La Città Futura, 1917)
O relojoeiro (Il Grido del Popolo, 1917)
O socialismo e a Itália (Il Grido del Popolo, 1917)
Mentes doentes (Avanti! 1917)
Três princípios, três ordens (La Città Futura, 1917)
Liolà de Pirandello no Teatro Alfieri (Avanti!, 1917)
Gatafunhos (Avanti!, 1917)
A revolução contra “O Capital” (Avanti!, 1917)
Margens (La Città Futura, 1917)

1918
Homens, ideias, jornais e tostões (Avanti!, 1918)
O nosso Marx (Il Grido del Popolo, 1918)
Cavour e Marinetti (Il Grido del Popolo, 1918)
A tua herança (Avanti!, 1918)
O regime do Paxá (Avanti!, 1918)
Os católicos italianos (Avanti!, 1918)
A língua única e o Esperanto (Il Grido del Popolo, 1918)
A barba e a faixa (Avanti!, 1918)

1919
Os populares (L’Ordine Nuovo, 1919)
Espanha (L’Ordine Nuovo, 1919)
Os nossos irmãos sardos (Avante!, 1919)
As dores da Sardenha (Avanti!, 1919)
O resgate da história (L’Ordine Nuovo, 1919)
Socialistas e anárquicos (L’Ordine Nuovo, 1919)

1920
Um ladrão morto (Avanti!, 1920)
Coordenar vontade e ações (L’Ordine Nuovo, 1920)

1921
Marinetti revolucionário? (L’Ordine Nuovo, 1921)
Os dois fascismos (L’Ordine Nuovo, 1921)
O povo dos macacos (L’Ordine Nuovo, 1921)
Itália e Espanha (L’Ordine Nuovo, 1921)
Homens de carne e osso (L’Ordine Nuovo, 1921)
Insurreição popular (L’Ordine Nuovo, 1921)

1923
Que fazer? (L’Ordine Nuovo, 1923)

1924
O Mezzogiorno e o fascismo (L’Ordine Nuovo, 1924)
A crise da pequena burguesia (L’Unità, 1924)
A crise italiana (L’Ordine Nuovo, 1924)
Chefe (L’Ordine Nuovo, 1924)

1925
Oportunismo e frente única (L’Unità, 1925)
A função do reformismo na Itália (L’Unità, 1925)
Os chefes e as massas (L’Unità, 1925)

1926
Rússia, Itália e outros países (L’Unità, 1926)
Nós e a concentração republicana (L’Unità, 1926)
A questão agrária (Em “Cinque anni di vita del partito”, uma das relações apresentadas no III Congresso del PCd’I, 1926)
Algumas temáticas da questão meridional (Lo Stato Operaio, 1930)

Referências bibliográficas


* * * * *


AUTORA:

RITA CIOTTA NEVES nasceu em Roma em 1949, onde se formou em Letras na Universidade La Sapienza, concluindo o doutoramento em História na Universidade Portucalense do Porto. Desde 1980 vive em Lisboa. Foi docente de Italiano na Universidade de Coimbra e, no âmbito do Programa Erasmus, nas Universidades de Perugia, Arezzo e Lecce. Em Lisboa foi professora de Italiano no Istituto Italiano di Cultura e de Semiótica e Teoria da Literatura na Universidade Lusófona.
Além de numerosos artigos, ensaios e traduções, publicou Italo Calvino – Lições de Modernidade (Edições Universitárias Lusófonas, 2007), Carolina Maria de Jesus - Uma Biografia nas Margens da Literatura (Edições Colibri, 2020) e Gramsci: a Cultura, os Subalternos e a Educação - 3.ª Ed. (Edições Colibri, 2021).

Detalhes:

Ano: 2021
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 236
Formato: 21x15
ISBN: 9789895660704
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
31/08/2021
FÉRIAS EM AGOSTO
Estimado(a)s Clientes e Amigo(a)s Encerramos para férias entre 2 e 31 de Agosto, por isso não podemos satisfazer quaisquer encomendas neste período. A partir de 1 de Setembro retomamos a nossa actividade normal. Pedindo desculpas por eventuais incómodos, agradecemos a vossa preferência... COLIBRI com gosto, para LER também em AGOSTO!

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

19/03/2018
A Colibri na Rádio Horizonte (92.8)
Clique no menu "Links" para aceder ao canal do Youtube

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99