Recintos Megalíticos do Ocidente do Alentejo Central

Arquitectura e Paisagem na Transição Mesolítico/Neolítico




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Pedro Alvim

Sinopse:

Este estudo trata da arquitectura dos recintos megalíticos e menires associados, na parte ocidental do Alentejo Central. Com base nos dados arqueológicos disponíveis, é analisada a organização espacial dos monumentos e o modo em que aqueles se relacionam com a paisagem e o tempo cíclico, estabelecendo ligações visuais com elementos distintivos do relevo e alinhamentos para o nascente ou poente do Sol e da Lua, em momentos conspícuos dos respectivos ciclos. As evidências sugerem uma ideologia, expressa na arquitectura megalítica, que relaciona o espaço e o tempo de forma característica, com semelhanças, em diversos aspectos, com o que se verifica em outros monumentos pré-históricos da Europa atlântica. Tendo em conta os estudos recentes que propõem uma cronologia do Neolítico antigo/médio para os recintos megalíticos e a maior parte dos menires de Évora, Montemor-o-Novo, Mora e Reguengos de Monsaraz, estes dados são considerados no contexto mais vasto da transição entre o Mesolítico e o Neolítico, no centro e sul de Portugal, como manifestações de um processo que, supostamente, terá implicado transformações no simbolismo e nos preceitos de organização espacial das comunidades que o viveram. ********************************************************* Na transição do século, apesar do crescente e por vezes avassalador interesse turístico gerado pelos Almendres, degradando as acessibilidades e ameaçando a própria salvaguarda do sítio arqueológico, a acção pública de conservação estava praticamente reduzida a zero, sujeita à lógica de fazer depender a sua “futura” valorização, dos grandes investimentos turísticos privados anunciados para a Herdade mas, felizmente, nunca concretizados. Contrastando com a ausência de intervenção pública, o interesse científico pelo megalitismo alentejano e pelos menires em particular, não esmoreceu entre os antropólogos. Neste domínio, (…), destacou-se o GEMA (Grupo de Estudo do Megalitismo Alentejano) dinamizado, entre outros, por Manuel Calado (responsável pela identificação e estudo do Cromeleque de Vale Maria do Meio) e Pedro Alvim, o malogrado autor da tese de mestrado sobre os Almendres que agora, finalmente, é publicada. Arquitecto de formação, o interesse de Pedro Alvim orientara-se preferencialmente para o entendimento da organização espacial dos recintos megalíticos, na sua óbvia relação com as paisagens envolventes. Nesta perspectiva, o Cromeleque dos Almendres, por todos os motivos, assumiria um papel central na sua investigação, razão mais do que suficiente para que a Freguesia de Guadalupe se interessasse pelo seu trabalho que parecia vir ao encontro de tempos, aparentemente, mais favoráveis para o Cromeleque. (…). Naquele contexto, o desenvolvimento de novas investigações nos Almendres por Pedro Alvim, no âmbito da preparação de tese de doutoramento na Universidade de Durhan, perspectivava novos e indispensáveis dados científicos para enquadramento dos anunciados projectos de conservação e valorização. Infelizmente, o desaparecimento daquele investigador em Maio de 2015, de doença súbita e fulminante, privou-nos do seu inestimável contributo. Data de então, em reconhecimento do papel de Pedro Alvim (1970-2015) para o conhecimento e valorização contextual do Cromeleque dos Almendres, a intenção da União de Freguesias de N.ª Sr.ª da Tourega e N.ª Sr.ª de Guadalupe, de promover a edição da tese de Mestrado, defendida em 2009, na Universidade de Évora. ¶¶ [ANTÓNIO CARLOS SILVA – arqueólogo, presidente da Assembleia da União de Freguesias da Tourega e Guadalupe]

Índice:

Agradecimentos

Resumo/Abstract

[1.] Introdução
[2.] História da investigação
[2.1] Investigação arqueológica dos menires do Alentejo Central
[2.2] Interpretações
[2.3] Arqueoastronomia
[2.3.1] Arqueoastronomia britânica, breve sinopse
[2.3.2] Arqueoastronomia dos monumentos pré-históricos alentejanos

[3.] O espaço e o tempo
[3.1] Ambiente geográfico
[3.1.1] Alentejo Central
[3.1.2] Serra de Monfurado
[3.1.3] Mora – Pavia
[3.2] Enquadramento arqueológico
[3.2.1] Cronologia dos menires no Alentejo
[3.2.2] Os monumentos
[3.2.3] Evidências anteriores

[4.] Dois recintos megalíticos: Almendres e Fontaínhas
[4.1] Os Almendres
[4.1.1] Descobertas e investigação
[4.1.2] Os menires reerguidos pelo proprietário
[4.1.3] Arquitectura
[4.1.4] Envolvente paisagística
[4.2] As Fontaínhas
[4.2.1] Descoberta e investigação
[4.2.2] A arquitectura e a envolvente paisagística

[5.] Metodologia e perspectivas teóricas
[5.1] Astronomia de posição
[5.1.1] O Sol
[5.1.2] A Lua
[5.1.3] A Lua de Primavera e o «equinócio megalítico»
[5.2] Declinações, Azimutes e Elevações
[5.3] Metodologia
[5.3.1] Topografia
[5.3.2] Gravuras
[5.4] A perspectiva teórica
[5.4.1] Espaço, tempo, percepção e lugar
[5.4.2] Corpo e lugar
[5.4.3] As montanhas
[5.4.4] O tempo e a atmosfera
[5.4.5] O céu e a terra

[6.] Topologias
[6.1] Almendres
[6.1.1] Uma estação de observação no recinto dos Almendres
[6.1.2] Envolvente visual do recinto
[6.2] Fontaínhas
[6.3] Os recintos da serra de Monfurado e o «meio-mundo»
[6.3.1] Topologias, vistas, visibilidades
[6.4] Significados, significantes e referentes: monumentos, montes e linhas visuais

[7.] Recintos, menires e arquitectura: entre o Mesolítico e o Neolítico, entre a terra e o céu

[8.] Bibliografia

[9.] Índice de pranchas

[10.] Anexos

Detalhes:

Ano: 2021
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 130
Formato: 29,7x21
ISBN: 9789895660148
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
31/08/2021
FÉRIAS EM AGOSTO
Estimado(a)s Clientes e Amigo(a)s Encerramos para férias entre 2 e 31 de Agosto, por isso não podemos satisfazer quaisquer encomendas neste período. A partir de 1 de Setembro retomamos a nossa actividade normal. Pedindo desculpas por eventuais incómodos, agradecemos a vossa preferência... COLIBRI com gosto, para LER também em AGOSTO!

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

19/03/2018
A Colibri na Rádio Horizonte (92.8)
Clique no menu "Links" para aceder ao canal do Youtube

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99