História da Educação no Arquipélago de São Tomé e Príncipe

O Ensino Primário: da Escola Pública à «Escola do Mato»




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Lúcio Neto Amado

Sinopse:

A educação, a oferta educativa, sua matriz política e social, no arquipélago do Golfo da Guiné no contexto colonial – eis interessante tema que o autor, Professor Lúcio Amado, ora se propõe abordar, com rara amplitude e minúcia cronológica devotadas à história da educação em S. Tomé e Príncipe durante aquele período. ¶¶ Pese embora não ser de todo dimensionável a importância social da educação, consideramos absolutamente oportuna e enriquecedora a presente obra, iniciativa tanto mais admirável quanto o seu autor provém do núcleo dos que, com sabedoria, sacrifício e muita paciência se dedicam ao maravilhoso mister de ensinar e educar. [Natália Umbelina, in Prefácio] ************************************************************* A abordagem principal do presente livro centra-se na Escola Primária oficial e na outra escola projectada pelos nativos, conhecida como “Escola de Mato”. ¶¶ Presume-se que a “Escola de Mato” tenha surgido, nas ilhas, nos finais do século XIX, princípios do século XX. Ela tem uma longa história contada pelos anciãos, muitos deles já falecidos, e por outros actores mais recentes que se sentaram nos improvisados bancos dessa Escola frequentada, apenas pelos nativos de São Tomé e Príncipe.

Índice:

Prefácio

Agradecimentos

Nota introdutória

Capítulo I – O surgimento da Educação nas Ilhas

1.1. A Igreja Católica e os fundamentos da Educação
1.1.2. A Educação e o espírito Missionário

1.2. Fontes históricas do surgimento da Educação nas Ilhas
1.2.1. Os momentos decisivos da implantação da Educação
1.2.2. O pioneirismo dos Frades Católicos

1.3. As primeiras Escolas Primárias
1.3.1. A Escola Primária em Portugal continental
1.3.2. A Escola Primária em São Tomé e Príncipe
1.3.3. A acção determinante dos Missionários autóctones

1.4. Reformas na Instrução Pública

1.5. O início de um novo século
1.5.1. A queda da monarquia em Portugal
1.5.2. A inculcação continuada da Educação pelos Missionários
1.5.3. Efeitos da queda da monarquia registados nas Ilhas
1.6. A atitude dos naturais de São Tomé e Príncipe face ao novo
regime
1.6.1. O papel das Organizações autóctones

1.7. O hermetismo do Estado Novo no processo Religião-Educação
1.7.1. A década de 1960

Capítulo II – Escola Pública versus “Escola de Mato”
2.1. A fronteira do saber
2.2. O papel decisivo dos professores
2.2.1. O desempenho dos professores do sexo feminino

2.3. Diferença entre a Escola Pública e a “Escola de Mato”
2.3.1. A Escola Primária Pública
2.3.2. A Escola Primária em São Tomé e Príncipe
2.3.3. Plano de construção de Escolas em São Tomé e Príncipe

Capítulo III – A “Escola de Mato”: do Mito à Realidade
3.1. O surgimento da “Escola de Mato”
3.2. As funções sociais da “Escola de Mato”
3.2.1. As habilitações literárias dos Professores
3.3. A arquitectura física da “Escola de Mato”

3.4. Salto qualitativo

3.5. As “Escolas de Mato” que mais se destacaram

Capítulo IV – Organização do Ensino nas Ilhas

4.1. O estatuto conferido à Educação em São Tomé e Príncipe
4.1.2. Sustentáculo do ensino em São Tomé e Príncipe
4.1.3. Enquadramentos da estrutura escolar básica

4.2. Melhorias no sistema educativo

4.3. Hierarquia dos Professores do ensino primário

4.4. Curso de formação de Professores em São Tomé e Príncipe

4.5. Processo de efectivação dos Professores

4.6. Professores da “Escola de Mato”: quadro explicativo
4.6.1. Testemunhos de dois antigos Professores de “Escola
de Mato”
4.6.2. Quadro descritivo dos professores de “Escola de Mato”
das duas ilhas
4.6.3. Professores que enveredavam pelo exame de admissão aos liceus

4.7. Balanço da Educação nas Ilhas: Missionários versus Estado

Bibliografia

Anexos



AUTOR:

Lúcio Neto Amado – Nasceu na Freguesia da Conceição, ilha de São Tomé (São Tomé e Príncipe). Fez os estudos primários em São Tomé e, liceal em São Tomé e em Lisboa. É Professor de Educação Física de profissão – Licenciado em Educação Física e em Sociologia. Leccionou em Angola, em Timor-Leste, em Portugal e em São Tomé e Príncipe.
***********************************************************
Obras publicadas: “Manifestações Culturais São-Tomenses – apontamentos, comentários, reflecções”, 2011; “Os Mares do meu Arquipélago“, 2012; “O Labirinto da Esperança”, 2014.

Detalhes:

Ano: 2018
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 388
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-736-9
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
07/06/2022
DÓI-ME TUDO, SENHOR DOUTOR!, da autoria de Jorge Branco
APRESENTAÇÃO: dia 7 de Junho (3.ª feira) às 18h30, na Casa do Alentejo, em Lisboa

01/06/2022
ANGOLA E A INDEPENDÊNCIA, da autoria de António Belo
LANÇAMENTO: 1 de Junho de 2022 (4.ª feira), às 18h00, na Casa do Alentejo, em Lisboa. Apresentação: Comandante Jorge Correia Jesuíno

28/05/2022
MUNDO(S) - LIVRO 18 – Coletânea de Poesia Lusófona, com Coord. Literária de Ângelo Rodrigues
LANÇAMENTO online: 28 (sábado) de maio, pelas 16 horas

26/05/2022
DA GUERRA EM ÁFRICA ÀS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS DE PAZ, da autoria do consócio Luís Loureiro Nunes
LANÇAMENTO: 26 de Maio de 2022 (5.ª feira) 18h30, no Clube Militar Naval, em Lisboa. Apresentação: Doutora Maria Luís Figueiredo

30/07/2021
UNION HISPANOMUNDIAL DE ESCRITORES outorga o Escudo de Prata a Edições Colibri
EM RECONHECIMENTO PELO SEU APOIO À LITERATURA

25/05/2018
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

18/03/2018
A Colibri no Youtube
www.youtube.com/channel/UCh1qOgVfD928sohgDxoDSGA/videos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99 ___________________________________ [O telefone n.º 21 796 40 38 deixou de estar ao serviço da Colibri]