Estorietas Vadias

61 Estorietas | 14 Situações Clínicas Psiquiátricas | Ensaio Biográfico “A Revolução Psiquiátrica no Séc. XX”




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Eurico Figueiredo

Sinopse:

A Segunda Guerra Mundial trouxe a minha pacata aldeia a febre do volfrâmio. Vivia-se, nos anos 1943, 1944, uma azáfama sem fim. ¶ Meu pai, quando se instalou em Justes, obcecado pela agricultura e silvicultura, comprara umas leiras inóspitas na serra, o que foi motivo de mofa generalizada: “o doutor está louco”. ¶ Foi o seu eldorado! Ia de madrugada com a minha avó Bárbara, controlar as balsas onde se separava o volfrâmio da ganga nas tais leiras da serra. Levava-me muitas vezes, e eu acompanhava-a, fascinado. ¶ Meu pai diria mais tarde que, nos últimos anos de guerra, se ocupou mais de volfrâmio do que de medicina. ¶ Trabalhava clandestinamente, segundo percebi, para os aliados. ***************************************************** Eurico Figueiredo é casado. Pai de três filhos: a Bárbara (Professora de Psicologia na Universidade do Minho), mãe do Vasco (licenciado em Ciências Políticas); a Daniela (Anestesiologista no Centro Hospitalar do Porto), mãe da Constança (estudante de Direito) e da Mariana (estudante de Medicina); e o Tiago (Psicólogo Clínico em Lisboa), pai do Francisco e do António (ambos frequentam o ensino básico).

Índice:

Introito

61 ESTORIETAS
1. Agulha num palheiro
2. Mitos familiares
3. O homem que mordeu um cão
4. Estalinegrado
5. Bulhas
6. Pecado original
7. Desencanto
8. Contava meu pai
9. O milagre do cartão de campista
10. Vuillemoz
11. O menino da cama 9
12. Puritanos
13. Ruizinho
14. Aburguesamento
15. Regresso
16. A cidade e o campo
17. Por um cacho de uvas
18. Amor fraterno
19. Irmã imaginária
20. O charuto voador
21. Morte macaca
22. Novo primo
23. Paz
24. Amor que cura
25. Setentrião
26. “Jorge” cansou!
27. Snobeira
28. Borracheira
29. Boateiro
30. L’Encyclopédie Médico-Chirurgicale
31. “Venti minuti”
32. Despedida
33. Insólito
34. Bolas pretas
35. Família
36. Amizade na adolescência, mais forte que o amor?
37. Doge, o cão médico
38. O meu onze
39. Refúgio seguro?
40. Genética
41. O Bentley
42. Paris
43. Maldito 28 de maio
44. Os murros do Padre Henrique dos Santos
45. A minha boa estrela
46. Na legião
47. Eduardo Correia
48. Bissaya Barreto
49. A fuga
50. Francisco da Costa Gomes
51. Como se faz um amigo!
52. Daniela já sabe falar
53. Bom vizinho
54. Fobia
55. Pillá
56. A quinta de Souto Bom, agora Quinta dos Lódos
57. Douro duro
58. Progresso?
59. Miller Guerra
60. Mário Soares: subsídio para a história
61. O “meu” Mário Soares

SITUAÇÕES CLÍNICAS
1. Ossos de ofício…
2. Estranho acontecimento ocorrido no Cairo
3. 7.ª Irmã
4. Má reputação!
5. Moral da estória!
6. Queixa à ordem dos médicos?
7. “Chamava-se João…”
8. Perplexidade de uma intelectual
9. O mago de Siracusa
10. Jogo duplo
11. Filho de um atleta olímpico…
12. Sucesso ou insucesso?
13. Quixotismo
14. Psicodrama de grupo

ENSAIO AUTOBIOGRÁFICO
“A Revolução Psiquiátrica no séc. XX”



AUTOR:

EURICO FIGUEIREDO nasceu em Vila Real em 1939. É Professor Catedrático de Psiquiatria.
Com 16 anos iniciou a sua actividade política no MUD Juvenil. Aos 18 anos participou activamente na campanha do General Humberto Delgado.
Como Presidente da Comissão Pró-Associação dos Estudantes de Medicina de Lisboa foi dos mais destacados dirigentes das greves de 1962. Na sequência destas greves, e tendo participado na greve da fome, foi expulso por trinta meses da Universidade de Lisboa.
Em Coimbra, de 1962 a 1965, participa activamente na reorganização do movimento estudantil local. Em Agosto de 1962 é eleito, em Reunião Nacional do Movimento Estudantil, como o primeiro Secretário-Geral do Secretariado Nacional dos Estudantes Portugueses.
Funda, em 1963, em Coimbra, o movimento clandestino “Movimento Sindical Estudantil” que, durante anos, coordena a actividade estudantil antifascista e que dirige com, entre outros, A. Correia de Campos, Medeiros Ferreira, N. Brederode Santos, Valentim Alexandre.
Preso três vezes pela PIDE, por períodos curtos, vê-se obrigado ao exílio em 1965, na Suíça, onde viveu até 1976. Neste país desenvolve uma intensa actividade política em ligação com Portugal, entre outros, com Jorge Sampaio, e com Argel, sobretudo, com Manuel Alegre e Piteira Santos.
Militante do PCP desde os 18 anos, abandona este partido, em 1967, no mesmo dia em que as tropas Russas entram na Checoslováquia, como sinal de protesto contra este facto.
Militante do Partido Socialista, desde Agosto de 1974, foi várias vezes membro da Direcção Nacional e Política deste partido.
Deputado de 1983 a 1985 e de 1991 até 1999 foi, entre outros cargos, deputado à Assembleia da NATO e Presidente da Comissão da Administração do Território e Poder Local.
Autor do relatório da Assembleia da República sobre a regionalização, em 1997. Durante o processo de regionalização distinguiu-se na defesa da identidade Trasmontana e da integridade do Douro.
Tem-se preocupado com a problemática da protecção do ambiente e do património dando particular atenção ao tema dos rios internacionais de Portugal

Detalhes:

Ano: 2019
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 360
Formato: 23x16
ISBN: 9789896899295
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
31/12/2020
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99