A Noite que Mudou a Revolução de Abril

A Assembleia Militar de 11 de Março de 1975 (transcrição da gravação original)




Recomendar livro a um amigo
Coordenação: Carlos de Almada Contreiras
Colaboração com a entidade: Associação 25 de Abril

Sinopse:

Tenha-se sempre presente que a Assembleia de 11 de Março de 1975 se realizou poucas horas depois de ter ocorrido um ataque armado violento, com meios aéreos e terrestres, contra uma Unidade à qual pertenciam militares participantes nessa mesma Assembleia. Mas, e tal é liminarmente claro na gravação, uma ou outra intervenção mais emocionada ou desabrida, ou até apelo a retaliação violenta sobre os chefes golpistas, fruto da situação recém-vivida, não tiveram qualquer eco no coletivo e nas decisões tomadas, bem pelo contrário, nem consequências, nem ecos externos imediatos. [CARLOS DE ALMADA CONTREIRAS] ********************************************************* Em 25 de Abril de 1974, os Capitães de Abril prometeram aos portugueses um novo Portugal. (…) ¶ Gostaríamos de recordar apenas as boas – onde a aprovação da Constituição da República em 2 de Abril de 1976, depois das primeiras eleições livres (Assembleia Constituinte) em 25 de Abril de 1975, ocupa lugar cimeiro – mas, para que os erros no passado nos ajudem a construir um futuro melhor, não podemos ignorar os acontecimentos que poderiam mesmo ter inviabilizado a consumação do projeto de Abril. [VASCO LOURENÇO] ********************************************************* A transcrição das gravações permite desfazer alguns equívocos, boatos e falsidades sobre o que efectivamente se passou na Assembleia. (…) ¶ Este é um momento importante da história da Revolução de Abril, já que uma parte, ainda que bastante minoritária da Assembleia, procurou radicalizar a revolução, aproveitando a vitória em dia de golpe militar, levando-a para um regime de terror e possivelmente para uma guerra civil. Essa possibilidade foi tratada num momento-chave em que o poder (Presidente da República, JSN, Governo e Coordenadora) se expôs directamente, corpo a corpo, a uma assembleia bastante numerosa, onde estavam presentes as mais variadas tendências políticas, com soldados armados na sala e muitos nervos à flor da pele. Por estas circunstâncias já seria histórica esta Assembleia, o que aumenta o valor documental da gravação que a registou. [JACINTO GODINHO]

Índice:

1. PREÂMBULO

Uma gravação “perdida”

A decisão de editar

O ataque ao RAL 1 e a Assembleia

Propósito da publicação

Critérios adotados na transcrição da gravação

Acesso à gravação pelos intervenientes na Assembleia

Carlos de Almada Contreiras
2. A COMISSÃO COORDENADORA DO PROGRAMA DO MFA e o 11 de MARÇO

Vasco Lourenço
3. PORQUE CHAMAM “SELVAGEM” À ASSEMBLEIA DO 11 de MARÇO

Jacinto Godinho
4. A ASSEMBLEIA DO MFA DE 11 DE MARÇO DE 1975 – TRANSCRIÇÃO DA GRAVAÇÃO ORIGINAL

5. ANEXO

6. ÍNDICE REMISSIVO




COORDENADOR:

CARLOS DE ALMADA CONTREIRAS nasceu em Aljustrel, em 1941, tendo feito grande parte do seu percurso de vida na Marinha de Guerra Portuguesa. ■ Participou activamente no 25 de Abril de 1974 e na redacção do Programa do Movimento das Forças Armadas. Indicou a canção “Grândola Vila Morena” como senha da operação militar dessa madrugada. ■ Entre outros cargos, foi Conselheiro de Estado, Conselheiro da Revolução e director do S.D.C.I.. ■ É Capitão-de-Mar-e-Guerra, na situação de Reforma. ■ Dirige a colecção “Memórias de Guerra e Revolução” editando obras que procuram estudar e clarificar a memória histórica da Revolução de Abril de 1974. ■ Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.


/Participantes/:

VASCO CORREIA LOURENÇO nasceu em 19 de Junho de 1942, em Lousa, Castelo Branco.
Integrando desde o início o Movimento dos Capitães, coordenou a organização da sua primeira reunião em 9 de Setembro de 1973, vindo a pertencer à sua Comissão Coordenadora e à sua Direcção. ■ Transferido compulsivamente para os Açores em 15 de Março de 1974, foi substituído como responsável operacional pelo Otelo Saraiva de Carvalho. ■ Único oficial que pertenceu sempre aos órgãos de cúpula do Movimento dos Capitães (CC e Dir.) e do MFA (CCPMFA, CE, C20 e CR). ■ Moderador das reuniões destes órgãos e seu porta-voz, bem como da Assembleia do MFA e da Assembleia do Exército. Membro do primeiro Conselho da Arma de Infantaria e das comissões que aprovaram os dois Pactos MFA-Partidos. ■ Primeiro subscritor do Documento dos Nove, é nomeado para comandante da RML, nomeação que está na origem do 25 de Novembro de 1975, graduado em brigadeiro. Nomeado Governador Militar de Lisboa em Agosto de 1976 e graduado em general. Aí se manteve, até Abril de 1978. ■ Terminado o CR, regressa ao Exército à CHERET, como major. Co-autor dos livros No Regresso Vinham Todos; MFA – Rosto do Povo e Do Interior da Revolução. ■ Das várias condecorações que possui, destacam-se a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade e a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique. ■ Presidente da Direcção da Associação 25 de Abril, desde a sua fundação em Outubro de 1982. ■ Coronel na Reforma.

JACINTO GODINHO é jornalista dos quadros da RTP (Rádio e Televisão de Portugal) desde 1988. Como repórter especial fez vários trabalhos de investigação premiados. Produziu e realizou várias séries documentais. Foi por duas vezes galardoado com o mais importante e prestigiado prémio de jornalismo em Portugal, o Prémio Gazeta do Clube de Jornalistas. Doutorado em Ciências da Comunicação pela FCSH da Universidade Nova de Lisboa. É professor auxiliar do Departamento de Ciências da Comunicação, da UNL onde lecciona desde 1993. Publicou os livros As origens da reportagem – Imprensa (2009) e As origens da reportagem – Televisão (2011).

Detalhes:

Ano: 2019
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 310
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-848-9
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
16/06/2019
As Edições Colibri na 89.ª FEIRA DO LIVRO DE LISBOA
VISITE-NOS NO STAND *D-30* Entre 29 de Maio (quarta-feira) e 16 de Junho (domingo) de 2019, no Parque Eduardo VII (Metro: Marquês de Pombal e/ou São Sebastião), em Lisboa

24/05/2019
O MARINHEIRO DE FERNANDO PESSOA, da autoria de Thiago Sogayar Bechara
LANÇAMENTO: 24 de Maio (6.ª feira) às 18h00, na Faculdade de Letras de Lisboa.

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99