Guerras do Alecrim e Mangerona

Música de António Teixeira e libreto de Antônio José da Silva




Recomendar livro a um amigo
Organização: Márcio Páscoa
Colaboração com a entidade: Universidade Nova de Lisboa

Sinopse:

Guerras do Alecrim e Mangerona estreou-se no Teatro do Bairro Alto em 1737 e desde então frequentou o repertório de diversos teatros luso-brasileiros pelas décadas seguintes, alcançando o século XIX. O texto, dividido em duas partes, foi publicado desde o primeiro momento, ganhando reedições, sobretudo inserido na compilação de obras de Antonio José da Silva, chamada Teatro Cômico Portuguez. A música nunca havia sido publicada até o momento, mas tudo indica que manteve-se em uso por todo o século XVIII, ao menos, embora com alterações pontuais. O sucesso para a longevidade de texto e música reside seguramente no sólido domínio do metier a que se devotaram os dois artistas e na habilidade com que abordaram criticamente e de modo muito bem humorado a sociedade luso-brasileira urbana de seu tempo. Esta é, até o presente momento, a ópera mais antiga em língua portuguesa, cuja música chegou até nossos dias, embora não tenha sido a primeira da parceria dos dois Antonios. Bastaram a eles cinco anos, entre 1733 e 1738, para escrever ao menos sete espetáculos juntos e com elas entrar para a história, antes da Inquisição ter interrompido a vida do Judeu e assim a parceria do Antonio brasileiro e do Antonio português, mas não a obra, porque como advertira Semicúpio: "... que se ponha silêncio nesta matéria, sob pena de serem assuntos de minuetes e andarem por bocas de poetas, que é pior que pelas boca do mundo" (Parte 2, Cena VII).

Índice:

TRANSCRIÇÃO E ORGANIZAÇÃO:

MÁRCIO PÁSCOA graduou-se em Música-Instrumentos Antigos pelo Instituto Artes da UNESP, onde obteve o Mestrado em Artes/Música. Doutorado pela Universidade de Coimbra em Ciências Musicais Históricas, é professor efetivo de História da Música e Música Brasileira na Universidade do Estado do Amazonas, onde coordena o Laboratório de Musicologia e História Cultural desde 2005 e é membro do Programa de Pós-Graduação em Letras e Artes. Autor de cinco livros e editor de cinco óperas, contribui frequentemente com diversas publicações. Dirige e toca na Orquestra Barroca do Amazonas, com a qual percorreu dezenas de cidades brasileiras e ainda em Espanha, Itália e Portugal, sobretudo com repertório luso-brasileiro dos séculos XVIII e início do XIX, destacando-se aí o espetáculo Ópera no Brasil Colonial. Com a OBA gravou cinco CDs deste repertório e subiu ao palco com diversas produções, dentre elas a estreia brasileira contemporânea de “Guerras do Alecrim e Mangerona” (2010).

Detalhes:

Ano: 2018
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 154
Formato: 29,5x21
ISBN: 978-989-689-738-3
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
23/11/2019
ROSÁLIA – A menina Exposta da Roda, da autoria de Florbela Teixeira
LANÇAMENTO: dia 23 de Novembro de 2019 (sábado), das 16h00 às 18h00, na Biblioteca Municipal de Palmela

20/11/2019
A ILHA É UMA LUPA, da autoria de Maria José Nazaré
LANÇAMENTO: dia 20 de Novembro (4.ª feira) às 18h30, no Espaço UCCLA, em Lisboa

16/11/2019
CASTELO DE VIDE – História e Sociedade (1906 a 1951), da autoria de Mateus da Cruz Maniés (†)
LANÇAMENTO: dia 16 de Novembro (sáb.) às 16h00, na Fundação Nossa Senhora da Esperança, em Castelo de Vide. Apresentação: Professor Doutor Francisco Sepúlveda Teixeira

14/11/2019
TEXTO E(M) LINGUÍSTICA, da autoria de Antónia Coutinho
LANÇAMENTO: dia 14 de Novembro (5.ª feira) às 18h30, na NOVA FCSH, em Lisboa

14/11/2019
KOSOVO – A Incoerência de uma Independência Inédita, da autoria de Raul Cunha
APRESENTAÇÃO: dia 14 de Novembro de 2019 (5.ª feira), às 17h00, no Comando do Pessoal do Exército, no Porto. Apresentação MGen Carlos Branco

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99