Visitas a João Paulo Borges Coelho

Leituras, Diálogos e Futuros




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

Sendo os editores deste livro, bem como os demais participantes nele, professores e investigadores em literaturas africanas de língua portuguesa em universidades portuguesas e estrangeiras, todos têm tido ampla oportunidade de se aperceberem do crescente interesse que essa área académica suscitou no último decénio. Ora, no caso de Moçambique, surgiu, há cerca de quinze anos apenas, um ficcionista – que é também historiador reconhecido – chamado João Paulo Borges Coelho (n. 1955), o qual é já dono de um projeto literário marcado pela abundância de formas, originalidade e regularidade, combinação nem sempre fácil. Os seus romances, novelas e estórias têm vindo a abrir veredas à literatura moçambicana e, como tal, cativado a atenção de uma ampla e diversificada massa crítica. ¶ Este livro é, na sua energia original, a expressão da admiração, carinho, de amizade pela obra de um cidadão que pela sua escrita tornou a literatura maior que as suas fronteiras geográficas. ************************************************************ «não me parecia bom sinal desaguar no caderno ao invés de partir dele (...). O meu propósito, não o podia esquecer, era retirar um sentido do passado, não imprimir ao passado um sentido actual» ¶ [João Paulo Borges Coelho, Rainhas da Noite, 2013, p. 212]. ************************************************************ «se escreveram cartas para lugares distantes, a tinta pingando do aparo o seu desesperado apelo; se cantaram cantigas doces, hoje petrificadas (...). Aqui se teceram enredos que o correr dos dias moeu e dispersou» ¶ [João Paulo Borges Coelho, “Ibo azul”, in Índicos Indícios I. Setentrião, 2005, pp. 191-192].

Índice:

Uma apresentação
Leonor Simas-Almeida

Agradecimentos

Crônica de outras visitas: a recepção crítica da obra literária de João Paulo Borges Coelho
Nazir Ahmed Can

Entre ética e estética: as pontes de João Paulo Borges Coelho Nazir Ahmed Can

Fraturas e tensões: o repensar crítico da nação moçambicana. História, mito e ficção em As Duas Sombras do Rio
Carmen Lucia Tindó Secco

Líquidas fronteiras – Representações dos Rios em As Duas Sombras do Rio e Campo de Trânsito
Ana Margarida Fonseca

Opacidades da história e transparências da ficção. O Moçambique de As Visitas do Dr. Valdez e de Crónica da Rua 513.2
Leonor Simas-Almeida

Espaços liminares em As Visitas do Dr. Valdez e O Retorno
Ana Ilievska

Outras cenografias: as ilhas como lugar de negociação identitária na literatura moçambicana
Ana Mafalda Leite

Guia prático para a (des)construção de comunidades imaginadas: crítica pós-colonial e pensamento de fronteira em Campo de Trânsito
Emanuelle Santos

O imaginário turístico em Hinyambaan
Jessica Falconi

Sabores e saberes em Hinyambaan
Sheila Khan

Desafiando silêncios: as ambiguidades raciais em O Olho de Hertzog
Sandra Sousa

Rainhas da Noite, um romance indiciário
Elena Brugioni

Modernidade, diálogo e pacto em Água, uma novela rural
Isabel A. Ferreira Gould

ANEXOS
Um inédito: “Anjo voador”
João Paulo Borges Coelho

Ovídio e Kafka nas margens do Lúrio
Fátima Mendonça

Os autores

Resumos e palavras-chave

Índice onomástico

Detalhes:

Ano: 2017
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 256
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-663-8
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99