Património Artístico no Alentejo Central

Obras, Mestres e Mecenas, 1516-1604




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Francisco Bilou

Sinopse:

«(…) Esta compilação de textos aqui reunidos em livro resulta desse exercício existencial, decerto encantatório, de busca e análise em torno do património artístico alentejano. Mas também o vejo e sinto como ponto de encontro: de saberes, de reflexões, de cumplicidades. Trabalho nunca fechado. Nunca garantido. Apenas espaço aberto de partilha, talvez de algum caminho andado. E nesse caminho andado, ainda que em passo solitário, nunca estive só. Porque nunca estamos sós quando nos esforçamos para acrescentar ao conhecimento histórico alguma palavra honesta e solidária» [Francisco Bilou] ************************************************************** Espera-o uma jornada cheia de surpresas e de vida, de que não se arrependerá. Anime-se, pois – e venha daí! O Francisco sabe do que fala e conhece a terra como poucos: ficará a conhecer uma das regiões mais encantadoras de Portugal no seu período de maior florescimento, e com a vontade aguçada para muitos novos passeios – que não são de mero louvor regionalista, mas de interesse genuinamente nacional. Se não puder sair de casa, ao menos leia o livro e deleite-se com as suas ilustrações, que aguçam a nossa curiosidade e dão o que pensar. Não terá muitas outras ocasiões tão oportunas e solidamente fundadas de o fazer. ¶ Não hesite. E pode ter a certeza de que tem nas mãos um guia de História da Arte da mais alta qualidade». [Rafael Moreira – Universidade Nova de Lisboa. CHAM, Centro de Humanidades (Centre for Global History)]

Índice:

Prefácio. Passeio pelo Alentejo, por Rafael Moreira

Palavras Necessárias, por Francisco Bilou


Garcia de Resende (1475?-1536): algumas notas biográficas a propósito do 5.º centenário da publicação do Cancioneiro Geral

Uma empreitada decorativa no paço de Almeirim em 1511 e o pintor
João de Espinosa, «mestre da pintura» do rei

A pintura mural da capela-mor de São Pedro da Ribeira, em Montemor-o-Novo: para uma tentativa de interpretação iconológica e autoral da obra

A petição do pintor Garcia Fernandes de 1540: novas achegas documentais e interpretativas

Sob o signo da Rainha: dois reis, dois mestres, dois gostos, na obra de ampliação do Paço Real de Évora (1513-1531)

Francisco de Arruda em Elvas: para uma valorização documental do seu protagonismo na obra do Aqueduto da Amoreira

As fortalezas de Évora Monte e Vila Viçosa. Alguns elementos de análise histórica e artística

Frei Carlos e a oficina de pintura do Espinheiro. Novos dados documentais e interpretativos

Francisco de Loreto e a obra renascentista da igreja de Nossa Senhora da Luz de Arronches

A propósito das três caixas de água monumentalizadas do Aqueduto de Évora: algumas notas para o seu enquadramento cultural e artístico

Miguel de Arruda, entre Évora e Estremoz. Novos documentos (1532-1562)

Pero Gomes, pedreiro e escultor de Estremoz. Novos dados para um registo artístico (1543-1570)

Dois testemunhos criptográficos desvelados em pinturas de Francisco de Campos e Diogo de Contreiras

O cadeiral do coro da Sé de Évora: para uma tentativa de interpretação iconológica e autoral da obra

O Contrato da empreitada da matriz de Fronteira e o mestre pedreiro António de Góis (1575)

D. Maria de Vilhena e a igreja do Carmo de Évora. Memórias de um património desaparecido à porta da Lagoa

A fundação da Cartuxa de Évora e os priorados de Dom Luís Telmo e Dom João Bellot (1587-1593)

As hortas em Évora, morar no campo às portas da cidade



O AUTOR:

Francisco Bilou (Évora, 1960) é licenciado em História, Ramo Património Cultural (1999) e mestre em Arqueologia & Ambiente (2009) pela Universidade de Évora. ¶ Depois de uma década ligado à ilustração e ao design gráfico nos quadros municipais da Câmara de Évora, passou à carreira de técnico superior, em 1999, nas áreas do Turismo, Património e Cultura. ¶ Dedica o seu tempo livre à investigação histórica, particularmente nos temas da hidráulica romana e da História da Arte do século XVI, a que concilia com a sua actividade e primeira formação profissional na área da ilustração e desenho artístico. ¶ É autor de vários livros e artigos sobre história local e de promoção do património cultural alentejano alguns dos quais ilustrados e destinados ao público infanto-juvenil. ¶ Mantém colaborações regulares com revistas temáticas e generalistas e uma crónica mensal sobre património histórico luso-espanhol na revista extremeña Grada.

Detalhes:

Ano: 2016
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 304
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-619-5
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
14/07/2017
A LÍNGUA PORTUGUESA NO MUNDO LUSÓFONO, organização de Alexandre António da Costa Luís,Carla Sofia Gomes Xavier Luís e Paulo Osório
LANÇAMENTO: Dia 14 de Julho de 2017 (6.ª feira), às 13h00, FNAC do Colombo, Lisboa

07/07/2017
CONCELHO DE TONDELA – HERÁLDICA, HISTÓRIA E PATRIMÓNIO, de Luís Ferros, Manuel Ferros e Rui do Amaral Leitão
LANÇAMENTO: Dia 7 de Julho de 2017 (6.ª feira), às 18h30, no Grémio Literário, em Lisboa. Apresentação: Prof. Doutor António Sousa Lara

23/06/2017
MEMÓRIAS DE UM ASSASSINATO EM MONTEMOR-O-NOVO, da autoria de Carlos André
LANÇAMENTO: Dia 23 de Junho de 2017 (6.ª feira), às 18h00, na União das Juntas de Freguesia, em Montemor-o-Novo

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99