AREZ

Da Idade Média à Idade Moderna




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Ana Santos Leitão

Sinopse:

Arez é actualmente uma freguesia do Concelho de Nisa, integrada no Distrito de Portalegre, na região do Alto Alentejo. Na descrição heráldica do seu Brasão constava a Cruz da Ordem Militar de Aviz, no entanto foi possível comprovar através deste estudo, que Arez foi Comenda da Ordem Militar de Cristo. A contextualização introdutória e genérica do espaço onde está inserida, foi baseada no conceito de Fronteira, numa lógica de consolidação da formação territorial pelo povoamento. Arez era uma terra senhorial, fazendo parte da Vigairaria de Tomar e recebeu Carta de Foral, dada por D. Manuel I, em 20 de Outubro de 1517, em Lisboa.

Índice:

Prefácio

Apresentação

I – A consolidação da formação territorial pelo povoamento
As Ordens Religiosas
Os Templários
A Ordem do Hospital
A Ordem de Cristo
A zona de confluência das 2 Ordens Militares

II – Ares e a Ordem do Templo: senhorialização e evolução institucional
A Senhorialização da Ordem do Templo e o processo de senhorialização
Ares entre as Dioceses da Guarda e Portalegre
O Donatário
A Correição
O Termo
O Julgado
A Câmara
O Alcaide
O Escrivão das Sisas
O Concelho
O Tabelião público e judicial
A jurisdição da Ordem de Cristo
A União dos mestrados das Ordens Militares à Coroa
A Comenda
Os Tombos da Ordem de Cristo
O Títollo da Comenda de Ares
O Foral da vila de Ares
O Vigário da Igreja de N.ª Sr.ª da Graça da freguesia de Ares
O Tombo de St.ª Maria de Ares de 1638
A comparação entre os 2 Tombos da Ordem de Cristo
O Escrivão das Dízimas
As Memórias Paroquiais

III – O espaço rural: paisagem e povoamento
O Espaço
A Rede Hidrográfica
O Ager
A Paisagem
O Povoamento
A Toponímia e a Agrotoponímia
A Demografia
O Espaço de Ares na Documentação
O Tombo de 1505
O Foral de 1517
O Tombo de 1638
O Tombo da Misericórdia de 1714
As Memórias Paroquiais de 1758

IV – A caracterização económica, sistema de exploração e rendimentos
O “Títollo da Comenda de Ares” de 1505
O Foral de Ares de 1517
O Tombo de St.ª Maria de Ares da Ordem de Cristo de 1632
O Património da Misericórdia de Ares
A Décima
Livro das Décimas de 1762
O Centeio
As Memórias Paroquiais de 1758
Os Rendimentos

V – A organização social e reconstrução da vila antes das Memórias
Paroquiais de 1758
O Núcleo Primitivo
O Núcleo Antigo
O Casario
Os arruamentos
O povoado
O Correio
As funções sociais dos moradores da vila de Ares em meados do séc. XVIII
A Fazenda e Maneio
O hospital
A missão social do Clero – Gafarias. Hospitais, albergarias e outras instituições de beneficência
A confraria
A Misericórdia
A Igreja Paroquial
O orago da freguesia
O inventário da Igreja Matriz
A capela da Misericórdia
A ermida de St.º António

VI – Considerações finais

Fontes e Bibliografia



A AUTORA:

Ana Cristina Encarnação Santos Leitão nascida em Lisboa, em 1971, é licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Mestre em História Regional e Local pela mesma Faculdade. Possui o Curso Superior de Turismo e uma Pós-Graduação em Gestão Autárquica Avançada, áreas profissionais a que se tem dedicado desde 1995. Investigadora do Centro de História da FLUL e membro da Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais. No âmbito da investigação histórica e do património cultural, destaca-se a publicação de edições e artigos, participação, colaboração e organização de seminários, colóquios, congressos e workshops nacionais e internacionais. Actualmente é Bolseira de Doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia e doutoranda do PIUDH, sediado no ICS da Universidade de Lisboa.

Detalhes:

Ano: 2013
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 192
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-332-3
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
31/12/2020
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

04/04/2020
VIAGENS E COMENTÁRIOS DE UM TEMPO SEM TEMPO, da autoria de Otilina Silva
LANÇAMENTO: dia 4 de Abril (sáb.), às 16h00, na Casa do Concelho de Alvaiázere, em Lisboa. Apresentação: Luísa Nogueira

19/03/2020
JARDINS IMAGINÁRIOS, da autoria de Francisco Martins da Silva
LANÇAMENTO: dia 19 de Março de 2020 (5.ª feira), às 18h30, na Galeria SPGL, em Lisboa

08/03/2020
KOSOVO – A Incoerência de uma Independência Inédita, da autoria de Raul Cunha
APRESENTAÇÃO: dia 8 de Março (Sábado) às 15h00, na Delegação do Clube do Sargento da Armada – Feijó. Apresentação: Major-General Carlos Branco

06/03/2020
ANTÓNIO, EM PORTALEGRE CIDADE – Romance, da autoria de Carlos Ceia
LANÇAMENTO: dia 6 de Março (6.ª feira) das 18h00-19h30, Campus de Campolide, em Lisboa. Apresentação: Profª Doutora Ana Maria Martinho

05/03/2020
A NOITE MAIS LONGA DE TODAS AS NOITES, de Helena Pato
APRESENTAÇÃO (3.ª ed): dia 5 de Março (5.ª feira) das 18h00, na Associação 25 de Abril, em Lisboa. Apresentação: Prof.ª Doutora Luísa Tiago de Oliveira

29/02/2020
MUNDO(S) – Livros 7 – Coletânea de Poesia Lusófona
LANÇAMENTO: 29 de Fevereiro (sáb.), às 16h00, na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa. Apresentação dos autores e da obra por Ângelo Rodrigues

27/02/2020
SANTOS, HERÓIS E MONSTROS, da autoria de Carla Varela Fernandes
APRESENTAÇÃO: 27 de Fevereiro (5.ª feira), às 18h00, na Livraria Ferin, em Lisboa

22/02/2020
SANTOS, HERÓIS E MONSTROS, da autoria de Carla Varela Fernandes
LANÇAMENTO: 22 Fevereiro (sábado), às 16h00, Mosteiro se Santa Maria de Celas, em Coimbra. Apresentação: Ana Alcoforado

21/02/2020
ESTORIETAS VADIAS, da autoria de Eurico Figueiredo
LANÇAMENTO: dia 21 de Fevereiro (6.ª feira) às 18h30, na FNAC NorteShopping, Senhora da Hora (Porto). Apresentação: Luísa Feijó (tradutora) e Alexandre Alves da Costa (arquitecto)

20/02/2020
O ALENTEJO E A LUTA CLANDESTINA – António Gervásio um Militante Comunista, da autoria de Luís Godinho
LANÇAMENTO: dia 20 de fevereiro (5.ª feira), às 18h00, no Museu do Aljube, em Lisboa. Apresentação: Margarida Machado e Teresa Fonseca

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99