Paisagens de Baco

Identidade, Mercado e Desenvolvimento – Regiões Demarcadas: Vinhos Verdes, Douro, Dão, Bairrada e Alentejo




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Ana Lavrador

Sinopse:

Esta tese é um trabalho inovador com uma forte componente de aplicação prática na promoção dos vinhos e no desenvolvimento turístico das regiões vitivinícolas. O foco é a Paisagem, tema saliente no pensamento pós-moderno centrado em três conceitos fundadores: identidade, percepção e representação, como acção de comunicação. São estudadas cinco emblemáticas regiões vinhateiras de Portugal: Vinhos Verdes, Douro, Dão, Bairrada e Alentejo. A originalidade das paisagens vitícolas, um valor no quadro económico regional e nacional, está hoje ameaçada pela globalização e mecanização, promotoras de descaracterização e perda de oportunidades no âmbito do rural multifuncional. Especificamente procuram-se identificar elementos territoriais distintivos (marcas) que constituam referências de identidade para cada uma das regiões, contribuindo para a consolidação e/ou criação de uma imagem emblemática das regiões vinhateiras. A ideia é contribuir para a instrumentalização da paisagem transformando-a num produto vendável que agregue agentes socioeconómicos e promova a visibilidade externa das regiões e dos seus vinhos.

Índice:

AGRADECIMENTOS
PREFÁCIOS
PREÂMBULO
INTRODUÇÃO
1.1 Escolha do tema, objectivos e estratégias
1.2. Questões fundamentais e estrutura da investigação

CAPÌTULO I – ENQUADRAMENTO TEÓRICO
1. A Paisagem na construção da identidade
1.1. O conceito de Paisagem como suporte da investigação
1.2. A identidade como questão territorial e a paisagem
na sua conceptualização e avaliação
1.3. A paisagem e a identidade no desenvolvimento e na gestão rural
1.4. A paisagem das regiões vinhateiras na construção da identidade
2. A percepção da paisagem
2.1. O conceito de percepção e perspectivas metodológicas fundamentais
2.2. Percepção e defesa da paisagem rural
3. Entre a imagem e a paisagem
3.1. A representação como forma de poder e instrumento de comunicação
3.2. Conceito e teorias da representação na construção das paisagens
3.3. O poder da re(presentação): da paisagem-cenário à sua cenarização
3.3.1. Representações pré-científicas da paisagem
3.3.2. Representações da paisagem após a sua admissão na ciência
3.4. A construção da imagem – a paisagem como objecto lisível
3.5. A representação das paisagens como mitos rentáveis
CAPÍTULO II – METODOLOGIA
1. A percepção das paisagens e a sua importância no desenvolvimento das regiões vinhateiras
1.1. A escolha da técnica utilizada – o inquérito
1.2. A construção do inquérito
1.3. A estrutura do inquérito
1.4. O tratamento da informação – a Análise Factorial de Correspondências Múltiplas (AFCM)
1.5. A aplicação da AFCM na exploração dos resultados da Parte A do inquérito
1.6. Estratégias de interpretação e apresentação dos resultados da AFCM(a)
2. A paisagem no consumo vínico e no marketing vitivinícola
2.1. A organização dos inquéritos
2.2. O inquérito na avaliação das intenções de marketing dos produtores
2.3. A estatística descritiva na exploração dos resultados
3. A paisagem na promoção vitivinícola e turística das regiões vinhateiras
3.1. A técnica utilizada – a análise de conteúdo através do Modelo de Cohen (1993)
3.2. O ubíquo folheto promocional – crítica das fontes
3.3. A exploração do conteúdo das publicações promocionais a partir da AFCM
3.4. A aplicação da AFCM na identificação de actuações promocionais
3.5. A aplicação da AFCM na determinação da funcionalidade das regiões
4. A conjugação dos resultados na síntese conclusiva
4.1. Imagens em representação dos resultados

CAPÍTULO III – A PERCEPÇÃO DAS REGIÕES VINHATEIRAS
1. Olhares diferentes sobre diferentes regiões vinhateiras
1.1. A caracterização do universo inquirido
2. Tipologia de inquiridos consoante graus de sensibilização às regiões vinhateiras
2.1. A caracterização dos Grupos de opinião: “olhares por dentro” vs. “olhares de fora”
2.2. Categorias de atitude perante as regiões vinhateiras
2.3. Padrões de comportamento perante as regiões vinhateiras
3. Categorização das regiões consoante o carácter vinhateiro, qualidade e singularidade das paisagens
3.1. A caracterização das regiões a partir da percepção dos inquiridos
3.2. Hierarquização e classificação das regiões consoante a identidade vinhateira

CAPÍTULO IV – A PAISAGEM NO MERCADO VITIVINÍCOLA
1. A paisagem como trunfo comercial
1.1. A escolha dos consumidores
1.2. A posição dos produtores face ao marketing vitivinícola

CAPÍTULO V – A REPRESENTAÇÃO DAS REGIÕES VINHATEIRAS
1. A representação na construção da imagem das regiões vinhateiras
2. A postura das entidades emissoras na promoção
2.1. Tipos de actuação promocional face às categorias em avaliação
3. A representação na afirmação da funcionalidade das regiões
4. A identidade das regiões vinhateiras a partir das representações promocionais

CONCLUSÕES E PROPOSTAS
1. De quem depende o futuro das paisagens e das regiões?
2. O diagnóstico do património a preservar e do ameaçado
3. Reflexão final – Imagens que ilustram as conclusões e propostas de divulgação
BIBLIOGRAFIA

ANEXOS – CADERNO DE IMAGENS


A AUTORA:

Ana Luísa Figueiredo Lavrador da Silva licenciou-se em Geografia, em 1984, no Centro de Estudos Geográficos, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, instituição onde efectuou Mestrado em Geografia Física e Ambiente, em 2002. Na sua carreira de professora, tem leccionado no Ensino Básico, Secundário e Superior e dado formação a professores. Em 2008 concluiu Doutoramento em Artes e Técnicas da Paisagem, na Universidade de Évora. O seu gosto pela temática da paisagem, a inquietação pelo conhecimento, a postura activa e a preocupação em dar um contributo útil à comunidade, tem sido reconhecido pela Universidade, pelo Ministério da Educação, por entidades e instituições do mundo da vinha e do vinho e do turismo, com os quais tem vindo a partilhar saberes através da participação em seminários e conferências, publicação de artigos em actas e revistas científicas e colaboração em projectos de investigação.

Detalhes:

Ano: 2011
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 216
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-151-0
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
19/10/2019
DESENHO INFANTIL, da autoria de Orlando Fialho
LANÇAMENTO: dia 19 de Outubro de 2019 (Sábado), às 18h15, no Holiday Inn Lisbon-Continental, em Lisboa. Apresentação: Dr.ª Maria Fernanda Alexandre

03/10/2019
ECONOMIA E HISTÓRIA – Estudos em Homenagem a José Maria Brandão de Brito, com organização de Alice Cunha, Cristina Rodrigues e Ivo Veiga
LANÇAMENTO: Dia 3 de Outubro de 2019 (5.ª feira) às 18h00, na Livraria Bertrand Picoas Plaza, em Lisboa. Apresentação: Prof. Doutor Carlos Farinha Rodrigues

28/09/2019
A ESTAÇÃO DO CABO SUBMARINO DE CARCAVELOS – Uma Presença Inglesa – Vivências e Evoluções, da autoria de Mário Eurico Lisboa
LANÇAMENTO: 28 de Setembro (sáb.), às 15h00, no Centro Cultural de Cascais.

26/09/2019
A VERDADE ESCONDIDA – 25 NOVEMBRO – As Praças da Armada
LANÇAMENTO: 26 de Setembro de 2019 (5.ª feira), às 17h30, no Auditório da União de Freguesias de Laranjeiro e Feijó

23/09/2019
O BANCO DE PORTUGAL E A SOCIEDADE MADEIRENSE, da autoria de João Abel de Freitas
LANÇAMENTO: 23 de Setembro de 2019 (2.ª feira), às 18h30, na Ordem dos Engenheiro, em Lisboa

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99